Bolsonaro minimiza crise com Mourão e diz que a briga é por quem 'lava a louça'

O presidente comparou a crise envolvendo Mourão e seu filho Carlos, vereador no Rio, a um casamento

Comentar
Compartilhar
25 ABR 2019Por Folhapress18h30
Bolsonaro reclamou ainda da 'obsessão de quem está fora do governo de criar cisão dentro do governo'Bolsonaro reclamou ainda da 'obsessão de quem está fora do governo de criar cisão dentro do governo'Foto: Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro minimizou nesta quinta-feira (25) os atritos com o vice-presidente, Hamilton Mourão, e disse que manterá a parceria com ele, no mínimo, até 2022. A declaração foi dada em um café com jornalistas no Palácio do Planalto, para o qual a Folha de S.Paulo não foi convidada.

Segundo relatos do jornal Valor Econômico, que participou do encontro, Bolsonaro comparou a crise envolvendo Mourão e seu filho Carlos, vereador no Rio, a um casamento.

"Estamos dormindo juntinhos a noite toda", afirmou o presidente, de acordo com o jornal. "Durante o dia, brigamos sobre quem lava a louça", disse. Mourão também esteve presente na conversa com a imprensa.

O jornal diz que Bolsonaro reclamou ainda da "obsessão de quem está fora do governo de criar cisão dentro do governo". O presidente negou existir uma ala militar no seu governo.

Mesmo após Jair Bolsonaro ter afirmado na terça-feira (23) que queria colocar um "ponto final" na briga entre seu filho e o vice, o vereador segue com publicações críticas a Mourão nas redes sociais.

Nesta quarta (24), por exemplo, em uma das postagens sobre Mourão, Carlos disse ser "estranhíssimo seu alinhamento com políticos que detestam o presidente", como o ex-deputado Jean Wyllys (PSOL). O filho do presidente ainda escreveu: "Lembro que não estou reclamando do vice só agora e tals... são apenas informações!".

Na terça-feira, ao deixar seu gabinete no Planalto, Mourão afirmou que adotaria uma postura de não criar confronto e exemplificou com um ditado popular: "Quando um não quer, dois não brigam".