Bolsonaro diz que população deve cobrar governadores sobre auxílio emergencial

Bolsonaro ainda afirmou que "lamenta" e "sente pena" das pessoas "que têm dificuldade". No entanto, segundo ele, "se nós não nos desajustarmos fiscalmente, vem inflação galopante"

Comentar
Compartilhar
12 FEV 2021Por Estadão Conteúdo17h10
O presidente da República, Jair Bolsonaro.Foto: Arquivo/EBC/Agência Brasil

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou que o auxílio emergencial de 2021 "está sendo estudado", mas apontou que a população deve cobrar os governadores, dizendo que eles "podem dar auxílio emergencial para vocês".

Sob fortes questionamentos sobre a retomada do benefício nas últimas semanas, Bolsonaro afirmou que, ao invés de ele ser cobrado, a população tem que pedir "para quem determinou o 'Fica em Casa', fechou comércio e acabou com seu emprego", em referência ao discurso adotado por alguns governadores, em especial o de São Paulo, João Doria (PSDB). Segundo ele, "o governo está se endividando".

De acordo o mandatário, mesmo após seu governo ter adotado por cinco meses a parcela de R$ 600 e por quatro meses a parcela de R$ 300, "quando termina (o benefício), dá porrada em mim".

Bolsonaro ainda afirmou que "lamenta" e "sente pena" das pessoas "que têm dificuldade". No entanto, segundo ele, "se nós não nos desajustarmos fiscalmente, vem inflação galopante".

O mandatário aponta que é preciso "mudar a situação", se referindo à cobrança da população pela retomada do benefício social e ajuda do governo.

Ele afirmou que não será "fácil" mudar, "mas é preciso fazer a cabeça do vizinho, conversar, mostrar realidade".