Bolsonaro chega ao Recife de helicóptero e evita protestos

O presidente evitou passar por protestos e ter contato com a população local

Comentar
Compartilhar
24 MAI 2019Por Folhapress12h35
O Nordeste é a região na qual Bolsonaro tem a sua pior avaliaçãoFoto: Wilson Dias/Agência Brasil

Em sua primeira visita ao Nordeste como presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) usou um helicóptero para se deslocar no Recife (PE), nesta sexta-feira (24), evitando passar por protestos e ter contato com a população local.

O presidente chegou à capital pernambucana por volta de 9h da manhã, pousando em uma base aérea, próxima ao aeroporto internacional da cidade.

Em seguida, pegou um helicóptero para um deslocamento de cerca de 15 km, até o Instituto Ricardo Brennand, complexo cultural da cidade, onde ocorre a reunião do conselho deliberativo da Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste).

Pela internet, manifestantes marcaram de se reunir próximo ao local, com previsão de carro de som, leitura de carta aberta e até a queima de um caixão. A programação do Palácio do Planalto, no entanto, evitaria que Bolsonaro passasse perto de qualquer protesto.

De acordo com a agenda, o presidente tem 15 acompanhantes em sua comitiva, entre ministros, parlamentares e outros representantes do governo.

?O Nordeste é a região na qual Bolsonaro tem a sua pior avaliação. Segundo pesquisa Datafolha divulgada em abril, 39% dos nordestinos consideram o seu governo ruim ou péssimo ante 30% da média nacional.

O político também foi derrotado nos nove estados da região na eleição do ano passado, ficando atrás do então candidato Fernando Haddad (PT).

A reunião da Sudene vai marcar o encontro do presidente com governadores dos estados nordestinos (quase todos de oposição), de Minas Gerais e do Espírito Santo, em agenda que ele vai anunciar um acréscimo de R$ 2,1 bilhões para o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, voltado para obras de infraestrutura.

Após o compromisso no Recife, o presidente vai a Petrolina (PE), de avião, e descerá no aeroporto Senador Nilo Coelho. Lá, Bolsonaro vai entregar imóveis do programa Minha Casa, Minha Vida e assinar ordem de serviços para construção de duplicação da BR-428.

Pela programação, o deslocamento no interior pernambucano deve ser feito com carros oficiais.

Segundo o Palácio do Planalto, viajam como presidente: os ministros Osmar Terra (Cidadania), Marcos Pontos (Ciência e Tecnologia), Santos Cruz (Secretaria de Governo), Floriano Peixoto (Secretaria-Geral), general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), os deputados André Ferreira (PSC-PE), Dayane Pimentel (PSL-BA), General Girão (PSL-RN), Heitor Freire (PSL-CE), Júlio César (PSD-PI), Luciano Bivar (PSL-PE), o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, o secretário especial de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, Luiz Antônio Nabhan Garcia, e o presidente da Embratur, Gilson Machado Guimarães Neto.

Colunas

Contraponto