Barbosa é o primeiro presidente negro do STF

Novo presidente do STF critica desigualdade de acesso à Justiça

Comentar
Compartilhar
23 NOV 201212h57

O ministro Joaquim Barbosa, que tomou posse ontem como presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), aproveitou o momento para criticar a desigualdade de acesso à Justiça e a subordinação pela qual os juízes precisam se submeter para ascender profissionalmente. “Há um grande déficit de Justiça entre nós. Nem todos os brasileiros são tratados com igual consideração quando buscam a Justiça”, disse em discurso.

Para o ministro, o Judiciário deve ser “sem firulas, sem floreios, sem rapapés” e deve se esforçar para dar resposta célere à sociedade, com duração razoável do processo. “De nada valem as edificações suntuosas, os sistemas de comunicação e informação, se naquilo que é essencial a Justiça falha porque é prestada tardiamente e  porque presta um serviço que não é imediatamente fruível”, argumentou.
 
Barbosa é o primeiro negro a comandar a Suprema Corte. Veio de uma família simples de Paracatu, em Minas Gerais, e integrou o STF em 2003, à convite do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
 
A presidente Dilma Rouseff participou da cerimônia de posse no Supremo Tribunal Deferal (Foto: AB)