Atos pró-Bolsonaro tomam várias cidades do país; São Paulo teve até 'pixuleko'

Nos palanques, além de gritos de "Fora PT" e "ele sim", parte dos manifestantes pede a volta do voto em cédula e faz abaixo-assinado para enviar ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pedindo que o sistema de votação mude no país.

Comentar
Compartilhar
21 OUT 2018Por Folhapress20h59
Várias cidades do país foram tomadas por manifestações pró-Bolsonaro.Várias cidades do país foram tomadas por manifestações pró-Bolsonaro.Foto: Fotos Públicas/AE

Manifestantes a favor do candidato Jair Bolsonaro (PSL) se reúnem ao longo da avenida Paulista neste domingo (21) com ao menos cinco carros se som e um pixuleko, boneco que faz alusão ao ex-presidente Lula (PT) com roupa de presidiário, gigante.

Nos palanques, além de gritos de "Fora PT" e "ele sim", parte dos manifestantes pede a volta do voto em cédula e faz abaixo-assinado para enviar ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pedindo que o sistema de votação mude no país.

O ato de apoio se repetiu por várias cidades do país. 

Em um dos trios, usam cartaz com a frase "Lula tá preso, babaca" similar ao logo do presidenciável Fernando Haddad (PT). A fala foi dita por Cid Gomes (PDT), irmão e coordenador da campanha de Ciro Gomes (PDT), que apoia Haddad no segundo turno.

Entre os políticos presentes, estão o senador eleito Major Olímpio (PSL) -seguido por uma comitiva que faz fila para tirar selfies com ele- e o vereador de São Paulo Fernando Holiday (DEM).

Um dos gritos de guerra do ato pró-Bolsonaro na avenida Paulista é "eu vim de graça", sempre que alguém em um dos trios fala sobre o escândalo de compra de disparos de mensagem por Whatsapp.

O caso foi revelado pela Folha de S.Paulo e provocou representações no TSE contra a chapa de Bolsonaro.