Banner gripe

Após prisão, senadores querem votar projetos contra abuso de autoridade

Segundo Tasso Jereissati, 'está na hora' de se votar uma proposta que puna o abuso de autoridade

Comentar
Compartilhar
21 MAR 2019Por Folhapress15h35
Para o líder da Minoria, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), não houve abuso e a prisão de Temer se justificaFoto: Valter Campanato/Agência Brasil

A prisão do ex-presidente Michel Temer reacendeu entre senadores a intenção de votar os projetos que tratam de abuso de autoridade e estão parados tanto na Câmara como no Senado.

"Vejo com muita preocupação [a prisão de Temer]. Não vejo nenhuma razão objetiva para a prisão do[ex-]presidente Temer. Posso falar isso porque sempre fui oposição a ele. Mas ele não está fugindo, que eu saiba, tem endereço conhecido. Acho que isso é um processo de abuso de autoridade que está acontecendo com alguma frequência", disse o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Ele disse que "está na hora" de se votar uma proposta que puna o abuso de autoridade que, segundo ele, "está passando de todos os limites" e traz reflexos.

"O reflexo é esta desmoralização da politica cada vez maior e de uma classe que é fundamental para a democracia", afirmou.

O senador pelo MDB Marcio Bittar (AC) disse não ver abuso autoridade na prisão de Temer e de alguns de seus ministros, mas defendeu a votação do projeto.

"Tem abuso no Judiciário? Tem abuso no Ministério Público? Se você tiver uma visão cristã, vai dizer que sim, são feitos por homens e mulheres. Então, cabe a aprovação da lei que coíbe abuso de autoridade", afirmou.

Para o líder da Minoria, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), não houve abuso e a prisão de Temer se justifica.

"É um dia histórico no combate à corrupção no Brasil. É uma demonstração de que ninguém está acima da lei. Os elementos para a prisão do senhor Michel Temer e do senhor Moreira Franco estão colocados há muito tempo", afirmou.

Colunas

Contraponto