Ao todo, 64 mil eleitores deixam de cadastrar biometria na Região

A ação era obrigatória em quatro municípios da Região; quem perdeu o prazo teve o título cancelado

Comentar
Compartilhar
21 DEZ 2019Por Caroline Souza07h07
Cubatão é o município que registra a maior porcentagem de eleitores que perderam o prazo: 25,71%Foto: Agência Brasil

Mais de 64 mil eleitores de Cubatão, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe perderam o prazo para cadastramento obrigatório da biometria, que se encerrou na quinta-feira (19). Quem mora nessas cidades e não cadastrou a digital teve seu título de eleitor cancelado. No entanto, é possível refazer o documento.

Para regularizar a situação, e ficar apto a votar nas eleições municipais de 2020, é preciso visitar o cartório eleitoral de 2 de janeiro até 6 de maio. O atendimento precisa ser agendado no site do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP). O eleitor deve comparecer ao cartório munido de documento de identidade oficial, comprovante de residência recente e título eleitoral.

Dentre os quatro municípios, Cubatão é o que registra maior porcentagem de eleitores que perderam o prazo: 25,71%. Na Cidade, 24.387 pessoas deixaram de cadastrar a biometria. Os dados são do sistema de Justiça Eleitoral. Em seguida, aparecem os municípios de Peruíbe (22,45%), Mongaguá (21,34%) e Itanhaém (21,07%).

Aquele que não regularizar a situação, além de ficar impedido de votar nas próximas eleições, "pode ter outras consequências na vida civil, como impedimento para emitir passaporte e ser empossado em concurso público", alerta o TRE-SP.

OUTROS MUNICÍPIOS.
Nos outros cinco municípios da Baixada Santista a biometria não é obrigatória para as próximas eleições. Mesmo assim, o TRE-SP recomenda que o eleitor faça seu cadastro o quanto antes.

Entre as cidades da Região em que o cadastro ainda não é obrigatório, a com maior número de eleitores cadastrados é Praia Grande (54,54%), seguida de Santos (43,04%), Bertioga (42,59%), São Vicente (34,63%) e Guarujá (31,73%).