Ao celebrar chegada de 2020, Bolsonaro diz querer ano vitorioso como 2019

Em sua mensagem de Ano Novo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse querer que 2020 seja tão vitorioso quanto 2019.

Comentar
Compartilhar
02 JAN 2020Por Folhapress08h49
Presidente afirma que quer repetir feitos de 2019 durante este anoFoto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

"Que o Brasil possa continuar seguindo o caminho da prosperidade e que este seja um ano tão vitorioso para o povo brasileiro quanto foi 2019. Estaremos, juntos, trabalhando noite e dia para mudar o destino de nossa nação", escreveu o presidente em suas redes sociais minutos depois da meia-noite.

Na manhã desta quarta (1º), Bolsonaro deixou rapidamente o Palácio da Alvorada para cumprimentar apoiadores. "Quero começar bem o ano", disse, ao ser questionado por jornalistas se daria entrevista.

Bolsonaro passou a virada no Palácio da Alvorada com a família. Ele voltou a Brasília na manhã de terça-feira (31) para ficar com a primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Ele estava na Bahia desde sexta-feira (27), onde ficaria até o dia 5 de janeiro.

Inicialmente, Michelle iria para a base Base Naval de Aratu, a 42 km de Salvador, com o presidente, mas não embarcou. Na sexta, Bolsonaro informara que ela passaria por um procedimento cirúrgico, sem dar detalhes. Questionada, a primeira-dama disse apenas que "não é nada grave".

O Palácio do Planalto não informou o motivo da cirurgia. De acordo com um auxiliar presidencial, trata-se de "simples procedimento estético" e de "rápida recuperação".

Em seu primeiro ano de governo, Bolsonaro tem como principal vitória a aprovação da reforma da Previdência. Tenta agora conquistar apoio e consenso para dar sequência à agenda reformista.

Ao longo de 2019,o presidente teve uma relação difícil com o Congresso, onde tem uma estreita base. Agora começa 2020 com o desafio de fundar um novo partido, o Aliança pelo Brasil, após ter deixado o PSL em meio a brigas.

No campo das dificuldades, ele tem ainda o caso do primogênito, o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), alvo de investigações de um suposto esquema de rachadinha em seu antigo gabinete de deputado estadual, no Rio .

O presidente deverá voltar a despachar na segunda (6). No último dia de 2019, aprovou reajuste do salário mínimo de R$ 998 para R$ 1.039, acima do valor previsto no Orçamento, de R$ 1.031.