Antes da discussão sobre a MP 664, Cunha tira artigos 'estranhos' ao tema

O dispositivo revogado pelo presidente da Câmara tornava obrigatória uma retenção de 8% sobre o valor do seguro-desemprego

Comentar
Compartilhar
13 MAI 201519h14

Os deputados começaram a votar a medida provisória (MP) que restringe o acesso a benefícios previdenciários. Antes de iniciar a discussão da matéria, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciou a retirada, de ofício, de artigos considerados por ele estranhos ao tema original da MP 664.

O dispositivo revogado por Cunha tornava obrigatória uma retenção de 8% sobre o valor do seguro-desemprego para que o tempo de recebimento do benefício contasse para a aposentadoria.

Hoje, existe um regime optativo: o desempregado que recebe o seguro pode continuar a contabilizar o tempo de aposentadoria, mediante contribuição de 20% sobre o benefício.

Eduardo Cunha retirou artigos 'estranhos' ao tema, antes da discussão (Foto: Agência Brasil)