X
Política

Ajudei o país, diz Onyx sobre uso de verba pública em campanha de Bolsonaro

As regras da cota de atividade parlamentar - verba que congressistas têm para suas atividades - não permitem o uso para fins eleitorais.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. / Divulgação

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que utilizou dinheiro público para fazer campanha ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) porque estava "ajudando a construir um novo Brasil".

Neste domingo (30), a Folha de S.Paulo revelou que há no sistema da Câmara informação de reembolso para o deputado de mais de 70 bilhetes cuja origem ou destino são aeroportos do Rio e São Paulo, somando R$ 100 mil.

As regras da cota de atividade parlamentar - verba que congressistas têm para suas atividades - não permitem o uso para fins eleitorais.

"Tudo que eu fiz, é público. Está tudo dentro da legislação da Câmara. Eu desafio, me mostra uma passagem paga pela Câmara para a minha campanha a deputado no Rio Grande do Sul. Mas enquanto congressista e deputado [federal], eu tenho a prerrogativa e direito de andar no lugar do Brasil que eu quiser e eu estava ajudando a construir o que hoje nós estamos vivendo: a transição para um novo futuro para o nosso país e para um novo Brasil", afirmou o futuro chefe da Casa Civil para a rádio Gaúcha nesta segunda (31).

Ato da Mesa Diretora da Câmara, porém, é claro em dizer que a cota é "destinada a custear gastos exclusivamente vinculados ao exercício da atividade parlamentar".

Desde 2017, Onyx integra o grupo de parlamentares que coordenou a pré-campanha e a campanha de Bolsonaro.

Na entrevista, ele também atacou a Folha de S.Paulo. 

"A Folha de S.Paulo é um desses veículos que não se convenceu com a vitória do Bolsonaro. Mas a gente não se assusta, porque sabemos que estamos com a verdade. O bom para a Folha era o Haddad e o PT de volta", disse.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Brasil chega a 62,03% da população com vacinação completa contra a covid-19

O número de pessoas vacinadas com ao menos uma dose contra a covid-19 no Brasil chegou nesta sexta-feira, 26, a 158.650 689

Cotidiano

Procon de Santos fiscaliza descontos e faz autuações no Black Friday

Nove fiscais - seis do Procon-Santos e três da Regional do Procon-SP - passaram por unidades de lojas como Carrefour, Fast Shop, Extra, Magazine Luiza, Renner, Lojas Cem, entre outras

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software