Aécio: talvez Dilma não esteja capacitada para governar

O senador exemplificou com "a desastrada intervenção da presidente no setor elétrico, que trouxe tantos prejuízos ao Brasil, ao Tesouro e riscos de apagão"

Comentar
Compartilhar
22 MAR 201414h17

O senador e provável candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves (MG), fez duras críticas à presidente Dilma Rousseff, sua adversária nessas eleições, no encerramento do 58º Congresso Estadual de Municípios. Depois de criticar a gestão petista na Petrobras, o tucano citou também o setor elétrico. "A intervenção que se fez no setor elétrico foi um crime para o País, afastou os investimentos e o sistema trabalha hoje no seu limite, com empresas descapitalizadas e o Tesouro, na outra ponta, tendo de sustentar as distribuidoras."

O senador mineiro disse que jamais colocou em dúvida a probidade da presidente da República. "Reitero isso aqui, ela é uma senhora proba, talvez não esteja capacitada para governar o Brasil. O que estamos vendo é que o Brasil é o País do improviso", ironizou. E exemplificou com "a desastrada intervenção da presidente no setor elétrico, que trouxe tantos prejuízos ao Brasil, ao Tesouro e riscos de apagão". Segundo ele, essa intervenção deve ter sido tomada porque a presidente Dilma talvez tenha lido apenas o resumo e não o conteúdo completo de todas as informações que orientavam em direção contrária.

Para o tucano, a conta com a intervenção no setor elétrico pode chegar R$ 30 bilhões. "Então o benefício que o governo julga dar, com a redução da tarifa, na verdade ele cobra da mesma sociedade na mesma ponta. Todos querem tarifa de energia mais barata, mas o caminho está na desoneração, porque não desorganiza o setor, infelizmente o País é tocado hoje na base do improviso."

Aécio Neves fez duras críticas à presidente Dilma Rousseff (Foto: George Gianni)