Aécio diz que PSDB estuda possibilidade de impeachment

Apesar de dizer que ainda não há provas concretas contra Dilma, o tucano voltou a repetir a tese que vem sendo usada pela oposição de que impeachment é um mecanismo previsto na Constituição

Comentar
Compartilhar
14 ABR 201518h45

O presidente do PSDB e senador, Aécio Neves (MG), confirmou nesta terça-feira, 14, que o partido estuda a possibilidade de entrar com um pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Ele disse, porém, que nenhuma decisão sobre o assunto foi tomada.

"Nós estamos discutindo absolutamente todas as alternativas. Mas não existe uma posição, até este momento pelo menos, do PSDB de protocolar institucionalmente o pedido de afastamento da presidente", disse.

Segundo ele, o partido espera o parecer do jurista Miguel Reale Junior sobre se a presidente cometeu crime de responsabilidade fiscal para tomar uma decisão sobre o assunto.

CAécio Neves confirmou que o partido estuda a possibilidade de entrar com um pedido de impeachment (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

Apesar de dizer que ainda não há provas concretas contra Dilma, Aécio voltou a repetir a tese que vem sendo usada pela oposição de que impeachment é um mecanismo previsto na Constituição. "Impeachment não é uma palavra proibida. Impeachment não é golpe. É uma previsão constitucional", disse.