Violência contra idosos: três são presos na Baixada e no Vale em operação nacional

Operação Vetus prendeu 567 em 26 estados e no DF e é considerada um marco histórico na política de proteção ao idoso

Comentar
Compartilhar
04 DEZ 2020Por Gilmar Alves Jr.19h10
Policial civil ouve idosa durante uma apuração no município de ItanhaémFoto: Divulgação/Polícia Civil

Três homens foram presos pela Polícia Civil na Baixada Santista e no Vale do Ribeira durante a operação nacional Vetus, deflagrada em campo nesta sexta-feira (4) e considerada pelo Governo Federal como um marco histórico na política de proteção ao idoso, com ações em 26 estados e no Distrito Federal (DF). As prisões no âmbito regional ocorreram em Itanhaém, de um acusado de roubos em série contra idosos, conforme apurou o Diário, em Registro e em Juquiá.

Até às 18 horas desta sexta-feira, segundo Governo Federal, houve a prisão de 567 agressores, foram apuradas 13.265 denúncias, com o atendimento de 13.862 vítimas em 1.410 municípios em todo o País. Estavam sendo cumpridas 872 medidas protetivas e 275 mandados. 

De acordo com o Departamento de Polícia Judiciária do Interior-6 (Deinter-6), também foram cumpridas na Baixada e no Vale oito medidas protetivas para resguardar a segurança de vítimas idosas, houve lavratura de 23 Termos Circunstanciados (TCs) e instaurados 16 inquéritos policiais.

“As prisões e todas as diligências realizadas hoje servirão de base para as demais apurações em curso no combate aos crimes contra vítimas idosas”, disse o departamento, em nota, no final da tarde desta sexta-feira.

Conforme apurou o Diário, o acusado preso em Itanhaém, de 18 anos, agia sempre contra vítimas na faixa dos 70 anos, que não conseguiam esboçar muita reação aos roubos. Diante das investigações, a Justiça expediu a prisão preventiva dele, que foi cumprida nesta sexta pela equipe da delegada Evelyn Gonzalez Gagliardi, titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), e do investigador-chefe da especializada, Mário Augusto.

A operação mobilizou policiais de diversas delegacias em diligências de campo na Baixada Santista e no Vale do Ribeira (Divulgação/Polícia Civil)

Entrevista coletiva

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, frisou, nesta sexta-feira (4), em entrevista coletiva em Brasília, que é uma preocupação do Governo Federal a defesa dos direitos humanos de todos os cidadãos e, de modo especial, da pessoa idosa.

A Vetus foi coordenada pela Secretaria de Operações Integradas do ministério e teve início no dia 1º de outubro (Dia Internacional do Idoso), quando foram iniciados os trabalhos de investigação e de apuração de denúncias pelas polícias civis estaduais.

“Esse é um crime de grande gravidade que traz um alto impacto na vida de um ser humano no sentido de tirar a dignidade justamente num momento da vida em que está mais fragilizado", afirmou Mendonça.

O ministro disse ainda que, "acima de tudo, este é um trabalho de aplicação prática dos princípios do Sistema Único de Segurança Pública (SUSP), que são a cooperação, atuação conjunta, coordenada e sistêmica dos órgãos de Segurança Pública.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, também destacou o trabalho conjunto entre os Ministérios e as polícias civis. “A Operação Vetus marca uma história na política da proteção do idoso. A partir dela, a gente vai mudar a política pública de atendimento aos idosos no Brasil. Não tem como a gente proteger os direitos fundamentais sem as forças de segurança. E essa operação integrada entre esses dois ministérios mostrou isso”, disse a ministra.

A Operação Vetus contou com o engajamento de todas as delegacias especializadas do País, o maior número de efetivo já empregado numa operação policial, segundo o Governo Federal.

*Com informações da Agência Brasil