Três travestis são presas por tentativa de homicídio contra motociclista em Santos

A vítima buzinou visando somente passar pela Rua Martim Afonso e após breve discussão foi perseguida e atingida por golpe de canivete

Comentar
Compartilhar
18 SET 2020Por Gilmar Alves Jr.17h46
Motociclista foi perseguido e atacado com canivete na Rua Martim AfonsoFoto: Reprodução/Google Maps e Divulgação/Polícia Civil

Três travestis foram presas em flagrante, na manhã desta sexta-feira (18), acusadas de tentarem matar um motociclista de 42 anos no Centro de Santos. Um canivete, com lâmina de 12 centímetros, foi usado para perfurar a vítima, que ficou gravemente ferida. O crime, na Rua Martim Afonso, próximo ao Palácio da Polícia, mobilizou policiais do 1° DP de Santos e até investigadores de outra unidade policial, devido à agressividade das acusadas.

Ensanguentado, o motociclista foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no saguão do Palácio da Polícia, na Avenida São Francisco.

Conforme foi apurado pela polícia, o motociclista, ao passar pela esquina da Martim Afonso com a Avenida São Francisco, por volta das 9h30, buzinou visando somente conseguir passar pela via, que é estreita, e teve uma breve discussão com as travestis. As acusadas, segundo a polícia, já estavam exaltadas pelo fato de um caminhão que transporta coco ter passado duas vezes pelo local, com ocupantes atirando o fruto contra elas.

Diante da discussão com o motociclista, elas o perseguiram pela Martim Afonso e aproveitaram, segundo os policiais, o momento em que ele diminuía a velocidade por conta da aproximação do semáforo com a Rua Amador Bueno para atacá-lo.

O motociclista disse que uma das travestis, de 27 anos, inicialmente o empurrou da moto, causando sua queda. Uma segunda, de 19 anos, lhe deu chutes. A terceira, de 21, sacou o canivete e tentou atingi-lo no peito. O motociclista conseguiu se defender levantando os braços, mas acabou tendo um destes membros perfurado.

A vítima está internada na Santa Casa de Santos.

Os policiais civis Victor Silvério e Ubirânio dos Santos prenderam as acusadas em um hotel próximo ao local do crime, ao realizarem diversas diligências no local. Após várias buscas, foi apreendido o canivete usado no crime, no quarto usado por uma das travestis. As ações foram feitas sob o comando do delegado titular, Max Pilotto, e do investigador-chefe, Rodrigo Lima. 

A travesti de 27 anos já era procurada pela Justiça, segundo a polícia. A acusada de 21 anos, dona do canivete, assumiu ter desferido o golpe e disse ter agido em “legítima defesa”.