Três são presos por tentativa de furto a banco em Praia Grande

Após alarme disparar, o trio deixou a agência sem levar nada; dois dos acusados são moradores de Joinville (SC) e um é de Várzea Paulista

Comentar
Compartilhar
29 JAN 2019Por Gilmar Alves Jr.18h07
Ladrões fizeram buraco em parede para invadir recinto onde fica cofre; em outubro do ano passado R$ 285 mil foram levados da mesma agênciaFoto: Divulgação/PM

O disparo de um alarme em uma agência do Banco Bradesco na Vila Tupi, em Praia Grande, evitou que três ladrões furtassem dinheiro do cofre central no início da manhã desta terça-feira (29). Os acusados foram presos pela Polícia Militar em um carro na Via Expressa Sul, após perseguição por diversas vias do município.

Conforme constatou a gerência do banco, após o flagrante, o cofre estava serrado até uma última parte de resistência, segundo o registro da ocorrência, e por pouco o furto não se consumou.

Os ladrões invadiram agência após fazerem um buraco a partir de um imóvel vizinho. Diversos materiais usados para a tentativa de furto, como lixadeiras, alicate de corte, marreta e pé de cabra, foram apreendidos.

Dois dos acusados são moradores de Joinville, em Santa Catarina, e um é de Várzea Paulista, no interior de São Paulo. Um dos detidos de Santa Catarina, segundo a PM, responde em liberdade a furto de caixa eletrônico naquele estado.

Abordagem

De acordo com o registro do caso, logo após o acionamento do alarme, PMs notaram um Chevrolet Prisma em alta velocidade na Avenida Presidente Kennedy, via onde fica a agência.

Após o carro ser alcançado, os policiais constataram que os suspeitos estavam com resíduos de construção espalhados pelo corpo. Luvas de construção civil foram apreendidas no carro e o trio admitiu o delito, diz o registro policial.

Autuados em flagrante por furto qualificado na Delegacia Sede de Praia Grande e removidos ao cárcere, os três capturados deverão ser submetidos a audiências de custódia nesta quarta-feira (30).

Outro furto

Com modus operandi semelhante, bandidos furtaram R$ 285 mil da mesma agência em outubro do ano passado. Ninguém foi preso e a polícia apura se o trio capturado nesta terça tem alguma ligação com o crime anterior.

Procurado pela Reportagem para posicionamento, o Bradesco informou que não comenta.

Colunas

Contraponto