Traficantes voltam a trocar tiros com policiais na Favela da Rocinha

PMs fizeram varredura em busca dos responsáveis pelos disparos. A polícia prendeu ontem ‘Djalma’, apontado como chefe do tráfico de drogas na parte alta da comunidade

Comentar
Compartilhar
04 ABR 201411h23

Traficantes da Favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro, voltaram a atacar policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no início da manhã de ontem.
De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, os PMs estavam na Rua Um “quando encontraram criminosos que atiraram contra os agentes. Os policiais revidaram. Eles realizam uma ação de varredura no local em busca dos responsáveis pelos disparos. Não há informações de feridos”.

Na última quarta-feira, 02, o soldado identificado como Gomide foi baleado na perna enquanto fazia patrulhamento na localidade conhecida como Vila Verde, na Rocinha. O policial foi socorrido ao Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon, e passa bem.

Também nesta quarta, policiais civis da 11ª Delegacia de Polícia (Rocinha) prenderam Luiz Carlos Jesus da Silva, conhecido como Djalma, apontado pela polícia como chefe do tráfico de drogas na parte alta da Rocinha. O criminoso foi depois de sair da favela para encontrar com um comparsa.

A Secretaria de Segurança do Rio informou que vai pedir a transferência de Djalma para um presídio federal de segurança máxima fora do Estado.

Traficantes da Favela da Rocinha voltaram a atacar policiais da UPP no início da manhã de ontem (Foto: Divulgação)

Ele era considerado um dos principais auxiliares do traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, da facção Amigos dos Amigos (ADA). Preso às vésperas da ocupação da Rocinha pelas forças de segurança, em novembro de 2011, Nem cumpre pena no presídio federal de Campo Grande (MS).

Segundo a Polícia Civil do Rio, Djalma passou a controlar o tráfico no alto da Rocinha depois de romper com Nem, e passar para o Comando Vermelho (CV). Ele teria se revoltado por não ter herdado as bocas de fumo na comunidade. Após ser preso, Nem entregou o comando do tráfico a outro comparsa. A ADA continua controlando o tráfico na parte baixa da Rocinha.