Justiça converte para preventiva prisão de acusado de atropelar e matar bombeiro em PG

Sandro Roberto de Farias Soares, de 43 anos, estava de motocicleta e foi arrastado pelo carro dirigido pelo acusado por cerca de 20 metros

Comentar
Compartilhar
06 MAR 2019Por Da Reportagem19h26
Sandro Roberto de Farias Soares, de 43 anos, dirigia uma Honda Titan CG 150 e estava de folga quando foi atingidoFoto: Reprodução

O Justiça converteu para preventiva, nesta quarta-feira (6), a prisão em flagrante de um vendedor de 21 anos acusado de homicídio doloso e embriaguez ao volante após atropelar e arrastar o cabo do Corpo de Bombeiros Sandro Roberto de Farias Soares, de 43 anos, na Orla da Aviação, em Praia Grande. A vítima estava de motocicleta e foi arrastada pelo carro dirigido pelo acusado por cerca de 20 metros no final da noite de terça-feira (6).

Testemunhas ouvidas pela Polícia Civil afirmaram que o motorista do carro, um Mitsubishi ASX branco, discutiu com Farias antes de atingir propositalmente o motociclista, que conduzia sua Honda CG Titan 150 na Avenida Presidente Castello Branco. Farias foi socorrido para o Hospital Irmã Dulce e foi submetido a uma cirurgia, mas não resistiu ao ferimentos durante a madrugada de ontem.

Apresentação

O vendedor deixou o local do atropelamento e compareceu ainda na noite de terça na Delegacia Sede de Praia Grande. Ele alegou que deixou a avenida porque havia aglomeração de pessoas e acreditou que poderia ser linchado.

O teste do etilômetro apontou que o vendedor estava embriagado, com 0,60 miligrama por litro de ar expirado - o máximo permitido é 0,05 mg/l. O acusado declarou que o atropelamento foi um acidente. Ele alegou que um um indivíduo de moto emparelhou seu carro e acreditou que poderia ser roubado, acelerando o carro.

A Polícia Civil entendeu que o vendedor atropelou o bombeiro por motivo fútil e representou pela prisão preventiva dele. Entre os argumentos foi a garantia de ordem pública.

Colunas

Contraponto