Técnico Milton Mendes é acusado de estupro por funcionária de hotel

Segundo uma pessoa ligada ao hotel ouvida pela reportagem, trata-se de uma cozinheira do estabelecimento.

Comentar
Compartilhar
03 NOV 2019Por Folhapress09h36
O técnico Milton Mendes.Foto: Paulo Fernandes/Vasco

O técnico Milton Mendes, do São Bento, foi acusado de estupro por uma funcionário de um hotel de Sorocaba. Ela registrou boletim de ocorrência na última quinta-feira (31), mesmo dia em que teria acontecido o abuso sexual.

Segundo uma pessoa ligada ao hotel ouvida pela reportagem, trata-se de uma cozinheira do estabelecimento.

Em contato com a reportagem, o treinador se defendeu da acusação. "Tomei ciência somente agora, não fui notificado ou intimado, e informo que o BO - boletim de ocorrência e uma declaração unilateral de uma parte somente", disse o treinador.

"Faço questão de ir até o fim. Meus advogados não mediram (sic) esforço para provar minha inocência", completou.

Milton Mendes é técnico do São Bento desde o dia 30 de agosto, quando deixou o Santa Cruz. Desde então, o treinador mora no hotel em que a funcionária trabalha. O local é usado pelo elenco do time paulista em algumas concentrações.

De acordo com a assessoria do São Bento, na última quinta-feira, os jogadores não estavam no local, pois a concentração aconteceu em Criciúma, local do jogo válido pela 32ª rodada da Série B do Brasileirão, que terminou empatado por 1 a 1.

O São Bento, por meio da sua assessoria de imprensa, manifestou-se sobre o assunto na noite de hoje, ainda durante o duelo com o Criciúma.

"O Esporte Clube São Bento, por meio de sua diretoria, esclarece que tomou conhecimento dos fatos evolvendo o técnico Milton Mendes pela mídia neste momento. Aguardamos mais informações das autoridades, assim como do profissional acusado. O clube não compactua com qualquer tipo de atitude de desrespeito ao ser humano no geral, incluindo o fato citado pela reportagem", afirmou.

Confira a declaração de Milton Mendes na íntegra:

Lamentável e totalmente fora de propósito, isso ocorrer na hora de um jogo tão importante. Tomei ciência somente agora, não fui notificado ou intimado, e informo que o BO - boletim de ocorrência e uma declaração unilateral de uma parte somente.

No Brasil temos o direito da ampla defesa e do contraditório, hotel tem imagens e provarei minha inocência. Hoje me execraram, inclusive minha família, no dia de finados, mas alerto que falar e não provar, e tanto crime quanto alegação que estão fazendo de mim.

E muito grave, provarei minha inocência, espero que a repercussão seja a mesma, pois o que fizeram agora é um crime.