Suspeito de matar menino na Grande SP se apresenta em Registro, no Vale do Ribeira

O corpo do menino, que estava desaparecido desde o último dia 16 quando saiu para empinar pipa, foi encontrado na manhã de segunda com sinais de asfixia e violência sexual

Comentar
Compartilhar
23 JUL 2019Por Da Reportagem18h07
Yuri Juan Francisco Gonçalves foi assassinado após sair para empinar pipaFoto: Reprodução

*Com informações da Folhapress

Suspeito de matar o adolescente Yuri Juan Francisco Gonçalves, de 13 anos, em Itapevi, na Grande São Paulo, o comerciante Luís Carlos da Silva, de 29 anos, se entregou à Polícia Civil na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Registro na noite de segunda-feira (22). 

Ele foi transferido para a Itapevi na manhã desta terça-feira (23) e interrogado. Até a publicação desta reportagem, o teor das declarações ainda não tinha sido divulgado. 

O corpo do menino, que estava desaparecido desde o último dia 16 quando saiu para empinar pipa, foi encontrado na manhã de segunda com sinais de asfixia e violência sexual na zona rural de Itapevi. Junto ao corpo foi encontrado um documento de Silva.

O suspeito morava próximo à casa da vítima, conhecia a família do menino e já viveu de favor na casa de tios dele.

Até a noite desta terça, a defesa de Silva ainda não havia sido localizada pela Reportagem.

Telefonema anônimo

Segundo a polícia, um telefonema anônimo indicou o local onde estaria o corpo do jovem. Chegando à Ra Jandiro de Freitas, policiais militares encontraram o cadáver de Gonçalves despido em meio a duas pedras e com sinais de violência sexual. 

O rosto dele também estava coberto com um saco plástico. Ainda segundo a polícia, isso seria um indício de que o garoto foi morto por asfixia. Ao lado do cadáver, foi encontrado o documento do ex-vizinho do menino.  

Um tio do garoto, de 36 anos, afirmou em depoimento à polícia que o principal suspeito pelo crime frequentava a rotina da família. 

Colunas

Contraponto