São Paulo ganha mais 1.190 soldados para o policiamento nas ruas

Policiais farão parte do Comando de Policiamento para a Copa. o total, o CPCopa terá um efetivo de 4.625 PMs

Comentar
Compartilhar
30 ABR 201414h47

O governador Geraldo Alckmin participou nesta quarta-feira, 30, da formatura de 1.190 novos soldados para reforçar o policiamento nas ruas. Os policiais, que passaram por um ano de preparação na Escola Superior de Soldados (ESSd), integrarão inicialmente o Comando de Policiamento para a Copa (CPCopa) e depois serão distribuídos para unidades de todo o Estado. No total, o CPCopa terá um efetivo de 4.625 PMs.

“Hoje foi uma formatura muito importante. O concurso da Policia Militar é dificílimo e neste último tivemos 76 mil inscritos. Os 1.190 fizeram o curso de um ano na Escola Superior de Soldados, foram capacitados e treinados para se formarem e começarem seu trabalho. É uma grande conquista”, afirmou o governador.

Somente neste ano, serão contratados 2.900 policiais militares, incluindo os formandos desta quarta-feira e outros que já estão em treinamento. Desde 2011, foram contratados 13.237 novos policiais militares, civis e técnico-científicos.

Para o ano que vem, estão previstos mais 4.100 novos policias militares - dois processos seletivos já estão em andamento para preencher essas vagas. No total, haverá mais 7 mil PMs nas ruas até o final de 2015.

O governador aproveitou a oportunidade para destacar os avanços conquistados pelos militares. “Nós também queremos destacar o esforço que fizemos pra valorizar os soldados. O avanço na carreira. Neste mês abrimos 21.617 vagas de cabo, com a promoção dos soldados a cabo, e quase 3 mil para cabos que foram promovidos a sargento”, ressaltou Alckmin.

Desde 2011, foram contratados 13.237 novos policiais militares, civis e técnico-científicos (Foto: Diogo Moreira)

Mais PMs nas ruas

Além da formatura desta quarta, São Paulo já havia ganhado mais 1.170 novos soldados em novembro do ano passado. Também está em processo outro concurso para selecionar 220 alunos para o curso de oficiais da Academia do Barro Branco.

Além disso, já está em prática a Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar (DEJEM), que reforçou o policiamento a pé com 1 mil policiais militares por dia. Os policiais podem trabalhar voluntariamente em suas folgas, com direito a uma remuneração adicional.

Outra medida que vai intensificar o policiamento é a criação de 5 mil cargos de oficiais administrativos, que substituirão gradativamente soldados temporários ao fim de seus contratos. Os contratados serão civis – uma inovação na gestão da PM que permite a concentração dos policiais nas atividades fim.

Soldados

O concurso que selecionou os novos soldados - 824 homens e 366 mulheres - teve quase 77 mil inscritos. O processo seletivo foi composto por várias etapas, como provas de escolaridade, condicionamento físico, exames de saúde e psicológico, análise de documentos e investigação social.

O curso de formação confere ao policial o grau de Técnico de Nível Superior em Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública. Ao longo de 12 meses, os alunos tiveram 49 matérias curriculares, subdivididas em módulos básico e especializado, que ocuparam um total de 1.516 horas/aula de estudo.

Entre as disciplinas, os formandos aprenderam conceitos de Direitos Humanos, Penal e Militar, criminalística, princípios de hierarquia e disciplina, Tiro Defensivo na Preservação da Vida - Método Giraldi, defesa pessoal, programas de policiamento, inteligência policial, policiamento em eventos, entre outras.

Ao concluir a formação, o PM se torna apto a desempenhar funções de polícia ostensiva e de preservação da ordem pública, seguindo a filosofia de polícia comunitária da corporação.

Valorização

O Governo vem investindo na valorização e na reestruturação da carreira policial. Desde 2011, foram concedidos três aumentos salariais, um reajuste acumulado de 36,59%, quase o dobro da inflação do período, que foi de 19,38%, de acordo com o IPCA.

Em dezembro de 2013, também foi aprovado o aumento do teto salarial para recebimento do auxílio alimentação, que passou a ser de R$ 2.924. O reajuste beneficiou 15.900 policiais, que ficariam acima do atual patamar com o aumento salarial de 7% sancionado em novembro.

Desde janeiro de 2014, foi dobrado o valor da diária alimentação, de R$ 20 para R$ 40, e ampliado o número máximo de diárias que o policial pode receber por mês. Passou para 15 dias, enquanto anteriormente era de 12 dias. Na prática, toda a corporação teve um ganho de R$ 341.

Outra lei aprovada em 2013 dobra o valor de indenizações a policiais afastados por invalidez e familiares de oficiais mortos. O teto do seguro passou a ser de R$ 200 mil – o anterior era de R$ 100 mil. O novo valor das indenizações retroage para casos ocorridos a partir de janeiro de 2012.

Na semana passada, mais de 26 mil policiais militares foram promovidos em quatro diferentes graduações, graças ao novo plano de carreira da Polícia Militar, implantado por lei em dezembro do ano passado. No mês que vem, está prevista a promoção de mais 615 oficiais.