Região tem queda em homicídios, latrocínios e crimes contra o patrimônio no trimestre

Na Baixada Santista, todos os principais índices de criminalidade apresentaram, caso dos roubos de veículo (-26,13%) e em roubos em geral (-12,48%)

Comentar
Compartilhar
24 ABR 201518h21

A região da Baixada Santista e do Vale do Ribeira reduziu em 4,92% o número de homicídios dolosos e 25,49% os roubos no primeiro trimestre deste ano, comparando com o mesmo período de 2014. Latrocínios, furtos e roubos de veículo também apresentaram queda.

O primeiro trimestre de 2015 teve 58 mortes intencionais – três a menos do que os 61 registrados no mesmo período do ano passado. Este é o segundo menor valor para o período desde o início da série histórica, ficando atrás apenas dos três primeiros meses de 2006, quando houve 55 homicídios dolosos.

No mês de março, os homicídios tiveram redução de seis casos – equivalente a 25%. Passou de 24 para 18 casos. É o menor valor para março desde 2008, quando houve 16 registros.

No ano, houve dois latrocínios a menos no trimestre. De janeiro a março deste ano foram seis casos, contra oito do mesmo período de 2014. No comparativo mensal, os roubos seguidos de morte permaneceram estáveis em dois casos neste ano, assim como em março do ano passado.

Não houve casos de extorsão mediante sequestro na região da Baixada Santista no primeiro trimestre deste ano. No ano passado, um caso havia sido registrado no período. Estupros caíram 23,01% no trimestre, as ocorrências caíram de 113 para 87.

A Baixada Santista e o Vale do Ribeira reduziram em 4,92% o número de homicídios dolosos (Foto: Divulgação)

Crimes contra o patrimônio

Os roubos em geral caíram 25,49% no primeiro trimestre deste ano, com 4.707 registros. De janeiro a março do ano passado, eram 6.317 – 1.610 a mais. Em março apenas, a redução é de 413 casos, ou 20,94% a menos. O total passou de 1.972 para 1.559 registros.

Os furtos em geral tiveram redução de 15,66%, com 1.473 ocorrências a menos no primeiro trimestre deste ano. O índice passou de 9.404, registrados no ano passado, para 7.931 casos na Baixada Santista. No comparativo mensal, a queda foi de 8,11%, com 221 ocorrências a menos. Eram 2.725 furtos em março de 2014, contra 2.504 no terceiro mês deste ano.

Houve queda de 14,71% nos roubos de carga, com dez casos a menos registrados no primeiro trimestre deste ano, que teve 58 ocorrências. Considerando apenas março, o indicador se manteve em 26 casos tanto neste, como no mesmo mês de 2014.

Os roubos de veículo baixaram em 25,62%, com 258 casos a menos no trimestre. Entre janeiro e março do ano passado foram 1.007 registros, contra 749 do mesmo período deste ano. Com quase cem casos a menos, o mês de março fechou em 274 roubos de veículos, contra 373 do mesmo mês do ano passado. A redução foi de 26,54%.

Produtividade policial

Na região do Departamento de Polícia Judiciária do Interior 6 (Deinter 6) e do Comando de Policiamento do Interior 6 (CPI 6), policiais civis e militares bateram recorde de prisões nos três primeiros meses deste ano. Com 8,77% detenções a mais, o número chegou em 2.494 registros.

No comparativo mensal, o aumento foi de 6,57%, com 52 prisões a mais. O número de detenções foi de 843 em março deste ano, ante 791 casos do mesmo mês de 2014.

Os flagrantes de tráfico de drogas aumentaram em 2,54%, com 12 apreensões a mais no primeiro trimestre deste ano. O período teve 484 registros, contra 472 do mesmo período do ano passado. Considerando apenas o mês de março, o aumento foi de 12,66%. Passou de 158 ocorrências de tráfico de entorpecentes em 2014, para 178 do mesmo período deste ano.