Receita evita envio de 68 quilos de cocaína de Santos para a Holanda

Vinte e sete toneladas de limão tiveram que ser retiradas de contêiner para o encontro da droga

Comentar
Compartilhar
07 ABR 2021Por Gilmar Alves Jr.19h43
Tabletes foram ocultos no lugar do isolamento térmicoTabletes foram ocultos no lugar do isolamento térmicoFoto: Divulgação/Receita Federal

A Alfândega da Receita Federal apreendeu nesta quarta-feira (7) 68 quilos de cocaína em uma carga de limões, no Porto de Santos, e evitou o envio para o Porto de Roterdã, na Holanda. Ninguém foi preso e um inquérito da Polícia Federal (PF) irá apurar quem são os responsáveis pela droga.

Com a recente apreensão, ultrapassa a marca de 6,087 toneladas a quantidade de cocaína apreendida em ações das autoridades federais no Porto de Santos neste ano. Foram 11 operações.

De acordo com a Receita, na manhã desta quarta-feira a carga de 27 toneladas de limões precisou ser retirada para que as equipes atingissem o fundo do contêiner e acessassem a parede que separa os equipamentos de refrigeração.

“A sua retirada mostrou que o isolamento térmico havia sido substituído por tabletes de cocaína, em uma tentativa de dificultar o trabalho da fiscalização”, disse a Receita.

Para a seleção de cargas, conforme frisa a Receita, são utilizados critérios objetivos de gerenciamento e análise de risco, bem como a inspeção não intrusiva por imagens de escâner.

“A importância desse trabalho sistemático de seleção é garantir o fluxo do comércio internacional, muito importante para a economia do país, sem perder de vista a segurança das operações”, diz o órgão.

A droga interceptada pela Alfândega foi entregue à Polícia Federal, que acompanhou a operação após a localização do entorpecente e prosseguirá com as investigações com base nas informações fornecidas pela Receita Federal.

O repasse de informações das operações à PF tanto pode dar início a novas investigações como complementar as que estão em curso, segundo a Receita.