Procurado por tentativa de latrocínio em Mongaguá é achado trabalhando em SV

O acusado, de 24 anos, estava como atendente de um carrinho na Praia do Gonzaguinha

Comentar
Compartilhar
26 NOV 2020Por Gilmar Alves Jr.16h53
A prisão ocorreu no carrinho onde o foragido estava trabalhando na Praia do GonzaguinhaFoto: Reprodução/Google Maps

Acusado de tentar matar, em um assalto, uma turista com um tiro nas nádegas em Mongaguá na noite de 3 janeiro deste ano, um foragido, de 24 anos, foi capturado pela Polícia Civil na tarde desta quarta-feira (25) no carrinho de bebidas onde ele estava trabalhando, na Praia do Gonzaguinha, em São Vicente.

O acusado foi reconhecido logo na madrugada de 4 de janeiro por uma segunda vítima do delito, de 30 anos, prima da mulher que foi baleada, de 44 anos. Durante o registro da tentativa de latrocínio, a mulher que não ficou ferida reconheceu o rapaz nos álbuns fotográficos da Delegacia Sede, responsável pelas investigações. A prima foi hospitalizada à época e também fez o reconhecimento.

O assaltante acusado de atirar é pardo, alto e tem os cabelos tingidos de loiro. Ao ser abordado no carrinho nesta quarta por policiais sob o comando do delegado Luiz Antônio Pereira, titular de Mongaguá, e do investigador-chefe, Alexandre dos Santos, ele mantinha os cabelos tingidos da mesma coloração.

Pelas informações colhidas equipe policial, os responsáveis pelo carrinho não tinham conhecimento da condição de foragido do rapaz, que estava com a prisão temporária decretada pela Justiça desde janeiro a pedido da delegacia.

Após o registro da captura, ele foi recolhido à cadeia anexa à Delegacia de Peruíbe.

Um segundo envolvido no roubo ainda não foi localizado.

O crime

As primas são de Caieiras, na Grande SP, e passavam o período de festas em Mongaguá. Na noite do crime, a vítima que acabou baleada foi buscar a prima em um ponto de ônibus na Avenida Agenor de Campos, no Jussara.

Dois assaltantes com armas de fogo anunciaram o crime e uma das vítimas sequer conseguiu correr por ter ficado muito assustada. A outra acabou baleada após entregar seu celular e correr.