Procurado por estelionato é preso em Praia Grande após novo crime

Homem se aproximou de dona de lanchonete, propôs investimentos e não foi mais visto após obter cheques em branco, dinheiro e mercadorias

Comentar
Compartilhar
14 JUN 2019Por Gilmar Alves Jr.17h09
A investigação que resultou na captura foi realizada por policiais do 1º DP de Praia Grande (Boqueirão)Foto: Reprodução/Google Maps

Procurado pela Justiça desde dezembro de 2016, por força de mandado de prisão preventiva por estelionato no interior paulista, Hélio Fernando do Nascimento, de 48 anos, foi preso na noite de quarta-feira (12) por policiais do 1º DP de Praia Grande (Boqueirão).

Nascimento passou a ser alvo de investigação em Praia Grande após a dona de uma lanchonete registrar boletim de ocorrência em abril e acusar o homem de se apropriar de dois cheques em branco, mercadorias e R$ 5 mil ao propor investimentos para lucros mais altos ao estabelecimento dela.

De acordo com a polícia, Nascimento se aproximou da comerciante por meio da filha dele, que trabalhava no local.

Após a entrega do dinheiro, da mercadoria e dos cheques, o homem passou a não atender ligações da comerciante e a filha dele abandonou o trabalho um dia antes de receber o pagamento.

Um dos cheques, com valor de R$ 2,5 mil, chegou a ser depositado, mas voltou por assinatura falsa.

Campana

Sob o comando do delegado Flávio Magário, titular do 1º DP, e do investigador-chefe, Gleydson Tudão, os policiais Marcelo Vasconcellos e Maurício Avelar fizeram diligências e descobriram que a filha do procurado estava fazendo um curso de enfermagem no Boqueirão.

Na noite de quarta, os investigadores flagraram o procurado em um Siena, quando ele levava a filha ao curso, e solicitaram a parada do veículo logo após a mulher desembarcar.

Nascimento acelerou o veículo e foi perseguido até a Avenida Presidente Kennedy, no bairro Guilhermina, onde foi capturado. No momento da detenção, o homem usava uma blusa com o nome do comércio da vítima, segundo os policiais, pois dizia a pessoas que era o proprietário da lanchonete.

Em interrogatório, o acusado confirmou que recebeu dinheiro e cheques da comerciante, mas negou a prática de golpe. Questionado sobre o motivo da filha ter largado o emprego, o homem nada declarou. Ele foi indiciado por estelionato, segundo a polícia. 

O Diário não localizou a defesa do acusado até a conclusão desta reportagem. 

Colunas

Contraponto