Presa mulher de publicitário

Justiça do Rio expediu prisão devido às suspeitas de envolvimento da advogada na morte de ex-marido

Comentar
Compartilhar
10 JUN 201410h43

A Polícia Civil cumpriu um mandado de prisão expedido pela Justiça do Rio e deteve por 30 dias a advogada Ieda Cristina Martins, de 42 anos, suspeita de participar da ocultação do cadáver do zelador Jezi Lopes de Souza, de 63 anos, morto pelo seu marido dela, Eduardo Martins, em São Paulo. Ieda é investigada pela morte do ex-marido dela, o empresário José Jair Farias, assassinado em 20 de dezembro de 2005 em Santa Cruz, na zona oeste do Rio.

A decisão sobre a prisão de Ieda foi dada no plantão judicial, no último sábado. Ela foi ouvida na noite ontem pelo caso do zelador. Policiais do Rio trouxeram ontem a São Paulo os projéteis usados nos disparos que mataram o ex-marido de Ieda. Será feita uma comparação balística com a arma encontrada na casa do casal em São Paulo. O aposentado Elias Martins, pai do publicitário, também foi ouvido. Ele é o dono da casa onde o corpo de Jezi Lopes de Souza foi encontrado. De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça do Rio, ainda não estava decidido ontem se Ieda seria transferida para o Rio de Janeiro.

Investigação foi retomada no Rio após prisão de publicitário em SP (Foto: Estadão Conteúdo)

O caso

Antes de conhecer Martins, Ieda viveu com Farias, com quem teve um filho, José Jair Farias Junior, hoje com 19 anos. O casal já estava separado quando Ieda conheceu Martins. Eles passaram a morar juntos em 2001. Nessa época, Ieda e o ex-marido ainda disputavam a guarda do filho.

Familiares de Farias contaram à polícia que Ieda exigia dinheiro do ex-marido para permitir que ele visse a criança. Farias chegou a gravar conversas telefônicas e anotar pagamentos que fazia à ex-mulher. Em 2002, ele registrou na polícia ameaças que teriam sido feitas por Martins. Em 9 de dezembro de 2005, Ieda registrou queixa contra Farias, acusado de ter ido à escola buscar o filho do casal sem avisar a ex-mulher. No dia 20 de dezembro de 2005, Farias foi encontrado morto com dois tiros, dentro de seu Corsa prata, na Estrada dos Palmares, em Santa Cruz. A polícia não chegou a nenhuma conclusão sobre o crime.