Prédio da Procuradoria Fiscal de Santos é revirado em furto

Devido ao crime, que ocorreu durante o dia, no domingo (13), local terá plantões diurnos de guardas municipais aos finais de semana e feriados

Comentar
Compartilhar
15 OUT 2019Por Gilmar Alves Jr.19h03
Até um medidor de pressão arterial de um servidor foi furtado do prédio, que fica na Rua XV, 157Foto: Nair Bueno/Diário do Litoral

O prédio da Procuradoria Fiscal (Profisc) de Santos, no Centro Histórico, foi revirado durante um furto no domingo (13). Ao registrar a ocorrência no 1º Distrito Policial de Santos na segunda-feira (14), uma representante da Profisc afirmou que foi promovida uma “desordem geral” durante o delito, com todas as gavetas e armários da repartição, que fica na Rua XV, 157, revirados.

Até a tarde desta terça-feira (15), nenhum envolvido no delito havia sido identificado.

De acordo com a Prefeitura de Santos, o crime foi descoberto por um guarda civil municipal quando ele iniciava o serviço de plantão no local, a partir das 18h de domingo.

Segundo a corporação, visando coibir ocorrências, será disponibilizado um guarda no local durante o dia nos finais de semana e feriados, além do período noturno e do patrulhamento com viaturas  diuturnamente.

O setor de investigações do 1º DP aguarda o fornecimento de imagens de monitoramento da Profisc e imediações para avançar nas investigações e irá apurar se um homem preso na segunda-feira (14), por policiais do 4º DP, teve participação no furto.

Arrombamento

Para a invasão da Procuradoria Fiscal, foi realizado um arrombamento da grade e uma escalada até um alçapão, que também foi arrombado, assim como uma porta interna.

Na relação de itens subtraídos estão um rádio portátil, dois monitores de vídeo, um medidor de pressão digital de um servidor, dois ventiladores de mesa, um rolo com 15 metros de tubo de cobre, que seria usado para instalação de ar-condicionado, e um telefone. A quantia de R$ 39,50 também foi levada.

No furto ainda foram consumidos alimentos da geladeira e levados dez quilos de café.  

Na segunda-feira, uma perita do Instituto de Criminalística (IC) analisou no local.