Policiais civis são atacados com pedradas após flagrante de tráfico no Morro São Bento

Os investigadores evitaram troca de tiros, pois o confronto poderia colocar, inclusive, a vida dos detidos na viatura em risco

Comentar
Compartilhar
06 AGO 2020Por Gilmar Alves Jr.19h30
O ataque aos policiais ocorreu na região afetada pelos deslizamentos de marçoFoto: Divulgação/Polícia Civil

Investigadores do 1° Distrito Policial de Santos (Centro) foram atacados com pedradas, na tarde de quarta-feira (5), enquanto trafegavam em viatura caracterizada após deterem dois jovens por tráfico de drogas e um terceiro por receptação no Morro São Bento.

Os policiais não se feriram e as pedras não chegaram a danificar as viaturas.

“As pedras estavam caindo perto e nós passamos mais rápido para não ficarmos feridos e para evitar o confronto a tiros, o que poderia até colocar a vida dos detidos em risco, se fossem atingidos pelos tiros dos criminosos”, afirmou ao Diário do Litoral o investigador-chefe do 1° DP de Santos, Rodrigo Cesar Lima.

O ataque dos criminosos ocorreu na região afetada pelos deslizamentos de março.

No início de 2020, no mesmo morro, policiais do mesmo distrito foram recebidos a tiros enquanto cumpriam uma ordem de serviço e os ladrões só cessaram os disparos após um dos investigadores disparar um tiro de fuzil. Não houve feridos.

O flagrante

Nesta quarta, os policiais cumpriam uma ordem de serviço quando o investigador Rodrigo Lima notou através de um buraco em um muro os suspeitos saindo do interior de uma residência.

Juntamente com os policiais Victor Silvério, Orlando Somaio e Ubirânio Gama, Lima realizou a abordagem no imóvel, na Rua Santa Mercedes.

Foram apreendidos diversos telefones e um laptop inicialmente. No forro do imóvel, foram encontradas dezenas de porções de maconha e kits contendo isqueiro, seda e tablete de maconha.

Flagrante de tráfico de drogas e receptação foi realizado nesta quarta-feira (5) (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Um dos adolescentes, de 14 anos, admitiu ser o responsável pela droga e outro, de 17, confirmou ter a posse dos objetos adquiridos de “viciados”.  Respectivamente, eles responderão pelos atos infracionais de tráfico e receptação.

O adulto de 18 anos, morador da casa, negou envolvimento com o tráfico, mas acabou autuado pelo crime uma vez que não forneceu explicação plausível para o encontro da droga em sua residência, conforme decidiu o delegado Max Pilotto, titular do distrito, no registro do flagrante.