Polícia faz perícia em creche onde dançarino foi achado

Pelo Facebook, foi convocado um protesto contra a morte de DG. O evento no fim da manhã já tinha mais de 700 confirmações. Os manifestantes pretendiam seguir a pé até o Cemitério São João Batista

Comentar
Compartilhar
24 ABR 201415h25

Agentes da Corregedoria da Polícia Militar, acompanhados de investigadores da 13.ª DP (Ipanema), realizam nesta quinta-feira, 24, uma perícia na creche-escola Lar de Pierina, onde foi achado o corpo do dançarino Douglas Rafael Pereira, na manhã de terça-feira, 22. Um cartaz afixado na porta da creche informa que as aulas serão retomadas apenas na próxima segunda-feira.

O comércio na Rua Sá Ferreira, em Copacabana, que dá acesso ao Morro do Pavão-Pavãozinho, fechou as portas no fim da manhã. Sem se identificar, comerciantes disseram que a ordem partiu de homens que desceram do morro e que seriam ligados ao tráfico de drogas na favela, que possui uma unidade de Polícia Pacificadora desde dezembro de 2009.

Pelo Facebook, foi convocado um protesto contra a morte de DG. O evento no fim da manhã já tinha mais de 700 confirmações. Os manifestantes pretendiam sair às 13 horas da creche e seguir a pé por ruas de Copacabana até o Cemitério São João Batista, em Botafogo, onde o rapaz será enterrado às 15 horas.

Moradores confeccionam cartazes, com pedidos de justiça. Também há pichações em vários pontos da favela com dizeres como "Saudades do DG".

Em vários pontos da favela foram espalhadas pichações com dizeres como