Polícia da Indonésia mata dois suspeitos de ligação com o Estado Islâmico

Segundo Rianto, vários outros suspeitos escaparam, mas a polícia conseguiu apreender dois fuzis M-16 e duas bombas caseiras

Comentar
Compartilhar
25 MAI 201516h57

O esquadrão da Indonésia anti terrorismo matou dois suspeitos e deteve sete pessoas em um ataque a uma organização jihadista, com possível laços com o grupo Estado Islâmico, de acordo com informações da polícia.

O porta-voz da Polícia Nacional, o Brigadeiro General Agus Rianto, disse que o esquadrão de elite atirou nos dois homens na noite de domingo, no distrito central de Sulawesi, em Poso, uma área montanhosa considerada um foco do terrorismo, depois de terem resistido à prisão e disparado contra a polícia, ferindo dois oficiais.

Segundo Rianto, vários outros suspeitos escaparam, mas a polícia conseguiu apreender dois fuzis M-16 e duas bombas caseiras.

Cinco outros suspeitos foram detidos no domingo na capital de Sulawesi do Sul, Makassar, com base em informações de um homem que foi pego carregando uma sacola de munições na sexta-feira, disse Rianto. Ele disse também que um sétimo suspeito foi detido na segunda-feira, no distrito central de Sulawesi, em Luwuk.

De acordo com Rianto, os homens pertencem ao grupo Mujahidin, no leste da Indonésia, liderado pelo militante mais procurado do país, Abu Wardah Santoso, que assumiu a responsabilidade pelos assassinatos de vários policiais e prometeu lealdade ao grupo Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

"A polícia teve que atirar, caso contrário, teria sido baleada", disse Rianto. "As evidências que temos apreendido mostra que os suspeitos têm uma ligação com o terrorismo".

A Indonésia tem lutado contra os terroristas desde os atentados em um resort na ilha de Bali, em 2002, que matou 202 pessoas, a maioria turistas estrangeiros. Fonte: Associated Press.