Polícia Civil vai analisar vídeo com agressões de PMs a portuários

Será apurado se houve abuso ou excesso na ação do 2º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (2º Baep); os policiais envolvidos deverão ser identificados e ouvidos

Comentar
Compartilhar
28 ABR 2017Por Gilmar Alves Jr.20h56
A Polícia Militar também irá analisar as imagens e apurar a conduta dos policiaisA Polícia Militar também irá analisar as imagens e apurar a conduta dos policiaisFoto: Diário do Litoral

A Polícia Civil vai analisar a partir de terça-feira (2) o vídeo que captou agressões de policiais militares a quatro portuários na Rua General Câmara, em Santos, na manhã desta sexta-feira (28). As imagens foram gravadas pelas câmeras de segurança do Diário do Litoral.

Integrantes do Sindicato dos Operadores Portuários de Santos e  Região (Sintraport), os quatro homens seguiam para a unidade, que fica ao lado do jornal, após terem participado dos protestos contra reformas da Previdência, das leis trabalhistas e contra a lei de terceirização, quando foram atingidos golpes de cassetetes por policiais do 2º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (2º Baep).

Titular do 1º Distrito Policial de Santos, o delegado Pedro dos Anjos disse ao Diário do Litoral que a Polícia Civil irá apurar se houve abuso ou excesso na ação dos PMs ou se a atitude foi devidamente justificada. Os policiais envolvidos deverão ser identificados e ouvidos na apuração.

Por meio de nota, o Sintraport informou que portuários “caminhavam tranquilamente” pela Rua General Câmara após a manifestação “sem saber o que os esperava”.

“Quando estavam quase na porta do sindicato foram surpreendidos por quatro soldados e um cão, que os atacaram violentamente, sem nada falar ou questionar”.

“O absurdo foi tanto que chegaram ao cúmulo de entrar no corredor do sindicato, sem qualquer ordem judicial,  para continuar nos espancando”, afirmou, na nota, o presidente do Sintraport Claudiomiro Machado, o Miro.

Os sindicalista e os demais portuários agredidos se reunirão na próxima semana para processar a Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Procurada pelo Diário do Litoral, a SSP não se manifestou sobre a intenção de processo do Sintraport e disse que as policias Civil e Militar apuram o caso.

“O 1º DP de Santos registrou a ocorrência e investiga o caso. O Comando de Policiamento do Interior-6 (Militar) convida as pessoas (portuários) para auxiliar na apuração da conduta dos policiais. As imagens serão analisadas”, declarou a pasta, por meio de nota.