Polícia Civil prende liderança do tráfico

Rapaz controlava diversos pontos de tráfico em Praia Grande e Mongaguá.

Comentar
Compartilhar
31 JAN 201310h54

Investigação com utilização de interceptações telefônicas culminou na prisão de Kleber da Silva Sales, o Klebinho, de 28 anos, apontado pela Polícia Civil como líder de diversos pontos de tráfico de drogas em Praia Grande e Mongaguá.

A prisão de Klebinho foi realizada por volta de 18 horas de terça-feira, na Rua dos Coqueiros, no Jardim Guanabara, em Mongaguá. Segundo o setor de investigações da Delegacia Sede de Mongaguá, o rapaz foi a um ponto de tráfico no local, conhecido como “Boca da Guanabara” para fazer uma “conferência de arrecadação” com Alessandro Baptista da Silva, de 31 anos, que atuava no local. Alessandro foi preso pouco antes da chegada de Klebinho ao local.

Ocupando um Corsa cinza, Klebinho estava acompanhado de dois comparsas quando ocorreu a abordagem dos investigadores. Os comparsas tratam-se de Fernando Ramos Bernardo, de 23 anos, e Sergio Correia de Amorim, de 25, que também acabaram presos.

Apreensão - Mais de 200 porções, entre crack, cocaína e maconha, foram recolhidas (Foto: Divulgação)

Campana

Diante da informação que Klebinho iria para a “Boca da Guanabara” no início da noite de terça-feira, os policiais Fábio Castro, Carlos Verardo e Alexandre Santos, chefiados por Paulo César Ferreira, e pelo delegado João José Peres Neves, montaram campana por volta de 17 horas, utilizando viatura descaracterizada. A uma distância de 70 metros do local onde as drogas eram comercializadas, os policiais observaram Alessandro agindo em atitudes características da venda de drogas.

Durante a abordagem do rapaz a equipe de investigadores apreendeu 100 pedras de crack, 74 cápsulas de cocaína e 29 porções de maconha. A ausência de “olheiros” do tráfico no local fez com que  a prisão não fosse comunicada a Klebinho, que compareceu ao local cerca de 10 minutos após a prisão do subordinado.
Quando abordado, Klebinho portava dois celulares, sendo um deles o que estava sendo monitorado nas investigações.

O delegado João José Peres Neves registrou o flagrante sob as naturezas de tráfico de drogas e associação ao tráfico. Os acusados foram recolhidos à carceragem da Delegacia Sede, sendo posteriormente removidos para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Praia Grande, onde permanecerão à disposição da Justiça.