Polícia Civil busca testemunhas para esclarecer homicídio de garçom em Guarujá

Bruno Sena de Souza, de 25 anos, participava de uma festa em um bar na comunidade Canta Galo quando foi esfaqueado, na noite de sábado (11)

Comentar
Compartilhar
15 MAI 2019Por Gilmar Alves Jr.15h32
Bruno Sena de Souza faleceu no Hospital Santo Amaro no domingo (12); ele deixa um filho de dois anosFoto: Reprodução

Policiais da Delegacia Sede de Guarujá buscam testemunhas com o objetivo de esclarecer a autoria e a motivação do assassinato do garçom Bruno Sena de Souza, de 25 anos, atingido por uma facada no abdômen, na noite de sábado, em um bar na comunidade Canta Galo.

Souza chegou a ser socorrido ao Hospital Santo Amaro (HSA), passou por cirurgia e faleceu no domingo (12) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ele deixa um filho de 2 anos.

Conforme apurou o Diário do Litoral, o setor de investigações da delegacia vai convocar nos próximos dias familiares do garçom para tentar identificar com quem o rapaz estava quando se dirigiu ao bar.

Informações colhidas pela Polícia Militar na noite de sábado apontam que Souza consumia bebida alcoólica quando foi atingido, após se desentender com um homem que chegou ao local. 

No trecho onde o crime ocorreu, não há câmeras de monitoramento, segundo a polícia.

Denúncias que ajudem nas investigações podem ser transmitidas pelo telefone 181 ou 3386-6992. Não é necessário se identificar.

O clube de futebol amador para qual a vítima torcia, Portuguesa Praiana, prestou homenagem em rede social

Comoção

Souza torcia pelo time de futebol amador Associação Atlética Portuguesa Praiana, que lamentou, em seu perfil no Facebook, o assassinato.

"Nossa comunidade perdeu um rapaz cheio de vida, de alegria e de amor pelo futebol. (Ele) estava sempre presente aos finais de semana no nosso campo (...) Nossos sinceros sentimentos à família, aos amigos e aos nossos jogadores, (muitos) amigos de infância do Bruno Sena", escreveu a associação. 

Foi decretado luto oficial no clube e todos os jogos do próximo final de semana terão um minuto de silêncio. 

Colunas

Contraponto