Polícia Civil apreende uma tonelada de maconha em São Vicente

Foi a maior apreensão da droga neste ano na Baixada Santista; motorista de empilhadeira foi preso

Comentar
Compartilhar
23 OUT 2019Por Gilmar Alves Jr.14h11
A droga foi encontrada dentro de um contêiner, em um galpãoFoto: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil apreendeu, na tarde de terça-feira (22), 1,1 tonelada de maconha em um galpão de uma empresa de logística na Área Continental de São Vicente, às margens da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega. Foi a maior apreensão da droga neste ano na Baixada Santista. Um motorista de empilhadeira de 63 anos, que trabalha na empresa, foi preso sob a acusação de participação no esquema de tráfico de drogas.

Ao menos outros seis homens suspeitos de integrarem o esquema vão ser investigados. Eles não estavam nas dependências da empresa, no bairro Humaitá, quando a polícia deflagrou a ação, às 16h30.

A apreensão foi feita em um trabalho conjunto de policiais da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) de Santos e da Delegacia Sede de Guarujá.

Informações recebidas pela polícia indicavam que um caminhão carregado com madeira havia descarregado a carga lícita, além de drogas.

Ao entrarem na empresa, situada na Avenida Antônio Bernardo,  os investigadores abordaram um controlador de acesso e o motorista de empilhadeira, que negou que um caminhão com madeira havia sido descarregado.

As respostas sobre os questionamentos dos policiais foram “inseguras e tensas”, segundo eles, o que reforçou as suspeitas de que havia droga no galpão.

Sob o comando dos delegados Rubens Barazal e Marco Antônio do Couto Perez, respectivamente titulares da Dise e da Delegacia de Guarujá, e dos investigadores-chefe destas unidades, Luiz Fonseca e Eloy Flórido, os policiais vistoriaram o galpão e encontraram a droga em um contêiner. No local também havia a carga de madeira, já descarregada, e outros três contêineres.

Os 1.048 tijolos da droga foram encontrados em cima de pallets, próprios para serem carregados com empilhadeiras.

Ao ser ouvido novamente, o motorista de empilhadeira admitiu que havia descarregado o caminhão, mas prosseguiu dizendo que não sabia que havia drogas na carga.

Segundo ele, o galpão onde a droga estava fica sob responsabilidade de um homem conhecido como “Campeão”.

“Campeão”, diz o motorista, esteve na empresa na terça e pediu para ele descarregar o caminhão carregado com madeira.

O detido sustenta que não sabia que havia droga, pois, segundo ele, o entorpecente estava oculto dentro de caixas de madeira. Ele afirma que não colocou as caixas dentro do contêiner, somente ao lado.

Diz ainda que “Campeão” pediu para que ele saísse, pois com cinco homens (o motorista do caminhão, um ajudante de motorista e outros três indivíduos) permaneceram no galpão para terminar de descarregar a carga.

A versão do detido foi vista como inverossímil pela Polícia Civil, já que em um primeiro momento ele mentiu aos policiais sobre a descarga de madeira e por caixas do material citadas não serem localizadas no galpão.

Atuado em flagrante por tráfico de drogas na Dise, o homem foi recolhido à cadeia anexa ao 5º Distrito Policial (Bom Retiro).