Polícia Civil apreende mais de 1.000 selos de LSD

Guilherme Faccioli Henrique, de 27 anos, foi preso em flagrante, por tráfico de drogas.

Comentar
Compartilhar
10 NOV 201210h33

Policiais da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) de Santos localizaram no apartamento de um entregador, no Itararé, em São Vicente, mais de 1.000 selos de LSD, 225 gramas de maconha e papelotes de cocaína, na manhã de ontem. Guilherme Faccioli Henrique, de 27 anos, foi preso em flagrante, por tráfico de drogas.

Os investigadores ainda apuraram que o entregador possuía vínculos Guilherme Vilani, de 20 anos, capturado em agosto, em Santos, com mais de 2 mil selos de LSD, na maior apreensão do tóxico no Estado. 
 
Policiais da especializada diligenciaram até o apartamento de Guilherme, localizado na Rua Messia Assu, por volta das 11h, com mandado de busca domiciliar expedido pela 3ª Vara Criminal São Vicente.
 
Ao chegarem na residência, os investigadores identificaram-se, sendo atendidos pela esposa de Guilherme. O acusado não estava no apartamento. Em vistoria no imóvel, micro pontos de LSD foram localizados em um armário, enquanto tabletes de maconha estavam acondicionados em uma geladeira.
 
Selos de LSD foram localizados em um armário, enquanto tabletes de maconha estavam em uma geladeira (Foto: Luiz Torres/DL)
 
Além dos tóxicos, cinco celulares, papéis com anotações contendo nomes e valores, uma gilete, utilizada para cortar entorpecentes, foram apreendidos. Logo depois da vistoria, Guilherme chegou no apartamento em sua motocicleta Honda Falcon preta. Ao ser questionado sobre os tóxicos, o entregador alegou que apenas guardava os entorpecentes, recebendo R$ 1 mil para isso.
 
No celular do acusado, os policiais ainda encontraram mensagens de texto referentes à comercialização de entorpecentes.
 
Embaixo do tapete de um veículo Agile preto, de Guilherme, mais 50 micro pontos de LSD foram apreendidos. Ele teve seu carro e motocicleta apreendidos. Após o flagrante ser registrado na Dise pelo delegado Francisco Garrido Fernandes, o entregador foi recolhido ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Praia Grande. 
 
Sob o comando do chefe dos investigadores, Paulo Álvaro Ribeiro, participaram do flagrante, os policiais Leandro Bezerra de Menezes e Carlos Eduardo da Silva Mota.

Colunas

Contraponto