Polícia caça quadrilha que aterroriza Baixada

Os criminosos foram os responsáveis pelo sequestro relâmpago do vereador de Guarujá Mario Lúcio da Conceição, e pela tentativa de assalto que culminou em tiroteio e morte de um motociclista em PG

Comentar
Compartilhar
04 JUN 201411h19

A investigação dos paradeiros de integrantes de uma quadrilha que age fortemente armada na Baixada Santista mobiliza a Polícia Civil. Inquéritos apontam o bando, que é formado por ao menos seis criminosos, como responsável pelo sequestro relâmpago do vereador de Guarujá Mario Lúcio da Conceição (PR), em 20 de fevereiro, e pela tentativa de assalto que culminou em tiroteio e na morte do motociclista Vinícius Rodrigues Paiva na Via Expressa Sul, em Praia Grande, no dia 19 de maio.

Na tarde de ontem, a Polícia Civil divulgou o envolvimento da quadrilha no sequestro relâmpago do parlamentar de Guarujá. A Delegacia de Guarujá utilizou imagens de monitoramento nas investigações e constatou que três envolvidos também participaram do crime em Praia Grande.

O único integrante da quadrilha capturado trata-se de Maurício Iglesias Zacca. Ele foi detido por policiais civis de Praia Grande um dia após o tiroteio na Via Expressa Sul.

A polícia de Guarujá informou ontem que o líder da quadrilha é Luciano Marques da Silva, o Jagunço. Ele é integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC), ainda de acordo com a polícia.

O terceiro acusado envolvido no sequestro relâmpago do vereador é Fabiano Mateo Lázaro. Após ter a prisão decretada pela Justiça de Praia Grande pelo crime em 19 de maio, ele não foi mais encontrado no apartamento de alto padrão onde residia, em Santos.

Sequestro relâmpago de vereador e morte de motociclista são crimes atribuídos à quadrilha (Foto: Reprodução)

Quantias

Uma característica da quadrilha é a busca por elevadas quantias em dinheiro em espécie. Tanto no caso em Guarujá como no ocorrido em Praia Grande esses eram os objetivos. Ao renderem o vereador de Guarujá, os criminosos exigiram a entrega de R$ 300 mil e um pote de ouro.

Visando preservar a integridade física da família, o parlamentar disse aos ladrões que tinha uma elevada quantia na casa de um conhecido para retirá-los da casa, mas sua mulher e o filho também acabaram vítimas de sequestro relâmpago. O parlamentar e seus familiares foram levados da residência em dois carros. Única vítima em um dos veículos, Mario Lúcio reagiu e conseguiu sair do carro. O líder da quadrilha efetuou três tiros contra o parlamentar, mas não o atingiu. Cerca de 20 minutos depois, a mulher e o filho do vereador foram libertados pelos ladrões na Rodovia Cônego Domênico Rangoni.

Em Praia Grande, a quadrilha não se intimidou com o serviço de escolta a um empresário que transportava dinheiro em um carro. Após o anúncio do roubo, os ladrões dispararam diversos disparos devido a reação dos  seguranças. Um dos tiros de fuzil disparados pela quadrilha matou o motociclista Vinícius Paiva, que não tinha nenhum tipo de ligação com o caso.


Integrantes da quadrilha que renderam vereador em Guarujá (Foto: Divulgação)

Titular da Delegacia de Guarujá, o delegado Cláudio Rossi afirma que  a quadrilha age sempre fortemente armada.

“São indivíduos com mais idade, com várias passagens, que tem carros à disposição e uma estrutura um pouco melhor do que a gente tem visto (em outros criminosos)”, disse Rossi. 

Colunas

Contraponto