Polícia aguarda laudos do IC sobre morte de Japonês do Funk

Após 42 dias da morte do empresário Ricardo Vatanabe, o caso ainda é um mistério para a polícia.

Comentar
Compartilhar
09 JAN 201310h30

A morte do empresário Ricardo Yoshimi Arato Vatanabe, o Japonês do Funk, de 42 anos, ocorrida na madrugada de 28 de novembro de 2012, ainda é um mistério para a Polícia Civil de Santos. O ex-candidato a vereador foi encontrado morto em seu escritório, no Marapé, após ser estrangulado com fios de televisão.

O setor de investigações do 2º DP (Jabaquara), responsável pelo inquérito do crime aguarda laudos periciais do Instituto de Criminalística (IC) de Santos para nortear o caso.

Peritos do IC apreenderam, na data do homicídio, computadores e celulares da vítima, além de câmeras de monitoramento de seu escritório. Com o resultado dos laudos, os investigadores do 2º DP poderão afunilar as investigações, cruzando dados dos telefones e computadores da vítima.

Novembro - Japonês do Funk foi encontrado morto na madrugada do dia 28. (Divulgação)

E-mail com ameaças

A Reportagem do Diário do Litoral apurou no dia da morte do empresário que Japonês do Funk recebeu um e-mail com ameaças de morte, dias antes do crime.
O teor da conversa estaria relacionado a prejuízos devido a sua derrota nas urnas na campanha para vereador.

Pessoas próximas ao empresário, ouvidas pelo DL, contam que o empresário estava muito abalado com a derrota na última eleição. Japonês do Funk teve 3.661 votos. Foi o sétimo vereador mais votado em Santos, não se elegendo pelo quociente eleitoral.