PM preso diz que homem que se apresentou sábado atirou no carro de Solange

Policial militar rodoviário foi preso na manhã desta quarta-feira (18) e é suspeito de dar cobertura ao atirador usando seu próprio carro, um Hyundai ix35

Comentar
Compartilhar
18 NOV 2020Por Gilmar Alves Jr.20h28
Carro do PM rodoviário foi captado por câmeras na região do crime e está apreendidoFoto: Nair Bueno/DL

O policial militar rodoviário que foi preso nesta quarta-feira (18), sob a suspeita de envolvimento no atentado a tiros contra a candidata a prefeita de São Vicente Solange Freitas (PSDB), disse à Polícia Civil que o autor dos disparos foi o homem que se apresentou na noite do último sábado (14), véspera das eleições.

A informação sobre esse trecho do depoimento foi obtida pelo Diário do Litoral na noite desta quarta. O PM rodoviário negou que se envolveu no crime. O homem que se apresentou no sábado foi descartado, na própria data, como suspeito de atirar porque, segundo a polícia, apresentou versão limitada a fatos veiculados na mídia e por não ter um ferimento no pé direito, como teria o atirador captado pelas câmeras de monitoramento usando uma Honda PCX.

Dono de um Hyundai iX35 preto, também captado por imagens de monitoramento na Linha Vermelha na manhã em que o crime ocorreu, na quarta-feira (11), o PM é considerado suspeito de dar cobertura ao atirador.

A pedido da 3ª Delegacia (Homicídios) da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) regional, que apura o atentado, ele teve a prisão temporária decretada pela Justiça, sendo o mandado cumprido na manhã desta quarta, quando o PM, que está licenciado, compareceu ao batalhão da PM na Ponta da Praia para um exame médico.

A Corregedoria da Polícia Militar foi acionada e realizou a prisão do suspeito.

Ele é morador de Mongaguá, tem cerca de 26 anos, conforme informações obtidas pela Reportagem, e não tem histórico negativo em sua ficha funcional.

O PM foi levado ao Presídio Romão Gomes, na Zona Norte de São Paulo.

Defesa

Procurado pelo Diário na noite desta quarta, o advogado do PM rodoviário, José Cosmo de Almeida Júnior, disse que por enquanto não irá se manifestar sobre a versão do cliente apresentada à polícia, alegando sigilo profissional, e informou que estava fazendo a defesa (peça jurídica) para tentar obter a libertação dele.

Almeida Júnior também é advogado do homem que se apresentou à polícia no sábado e que afirmou, em depoimento à Delegacia de Homicídios, ter sido contratado para “dar um susto” em Solange Freitas e na equipe.

Solange Freitas

Ao comentar a notícia sobre a prisão do PM rodoviário, Solange Freitas, que disputa o segundo turno, disse em nota que sempre confiou no trabalho da polícia. “Estou muito feliz com o avanço das investigações.  Tenho certeza que em breve o caso será esclarecido”, disse.