GOVERNO SAUDE

PM detém 3º suspeito de matar esposa de ex-candidato a governador de SP

Virginia Tavares Ferraz Ramos foi morta a tiros, no último dia (3), ao ser vítima de uma 'saidinha de banco' no Jardim Las Palmas, em Guarujá

Comentar
Compartilhar
10 FEV 2020Por Da Reportagem17h32
Vírginia Ferraz Ramos era casada com o ex-candidato a governador Claudio Fernando de AguiarFoto: Reprodução/Facebook

A Polícia Militar Ambiental prendeu, nesta segunda-feira (10), o terceiro suspeito de participar do latrocínio (roubo seguido de morte) de Virginia Tavares Ferraz Ramos, esposa do ex-candidato a Governador do Estado de São Paulo Claudio Fernando Aguiar, o Prof. Claudio Fernando (PMN). Ele foi localizado em São Sebastião, no litoral norte do Estado.

Após a detenção, uma equipe da Delegacia Sede de Guarujá já se deslocou para São Sebastião. O suspeito deverá ser interrogado em Guarujá ainda hoje (10). O Fox utilizado no crime, no qual ele teria agido, pertence a uma familiar dele.

A empresária foi morta a tiros, no último dia (3), ao ser vítima de uma "saidinha de banco" no Jardim Las Palmas, em Guarujá. O homem acusado de efetuar os disparos, de 19 anos, foi contido pelo pai da vítima, Walter Antônio Ramos, de 63 anos, e por um grupo de pessoas até a chegada da Polícia Militar, sendo autuado em flagrante pelo latrocínio (roubo seguido de morte). O segundo suspeito também foi detido no dia 3 e teve a prisão temporária decretada pela Justiça.

Conforme apurou a Polícia Civil, a vítima tinha sacado dinheiro em um banco e foi de carro até sua esmalteria, na Avenida Miguel Alonso Gonzales. Ao desembarcar de seu carro e caminhar até a calçada, às 16h33, ela foi rendida pelo criminoso, que exigiu a entrega da bolsa.

Ao manter a bolsa consigo e fazer uma certa pressão para que não fosse levada, o bandido decidiu atirar e atingiu Virgínia no abdômen e no pescoço. Como ela tentou se defender, um dos disparos atingiu a mão dela antes de perfurar o pescoço. A empresária foi socorrida ao Hospital Santo Amaro, onde não resistiu.

O pai da empresária estava dentro da esmalteria quando ouviu os barulhos de tiros. Assim que saiu do estabelecimento, ele se deparou com o bandido, que lutou com ele e acabou caindo no chão. O ladrão chegou a atirar duas vezes contra o pai de Virgínia, mas não o atingiu.

Pessoas se aproximaram e agrediram o suspeito, que portava um revólver de calibre 22, de cano curto, e a bolsa da vítima.