PM apreende redes de pesca e aplica mais de R$ 8 mil em multas em Mongaguá

Policiais conseguiram libertar peixes que estavam presos em uma das redes e devolveram os animais ao mar

Comentar
Compartilhar
02 SET 2019Por LG Rodrigues14h36
Autoridades apreenderam duas redes durante patrulhamento marítimo em MongaguáFoto: Divulgação/Polícia Ambiental

Policiais Militares da Companhia de Policiamento Ambiental Marítimo do 3° Batalhão de Polícia Ambiental do Estado de São Paulo (Ciamar) apreenderam duas redes com 500 metros de comprimento cada, uma embarcação e aplicaram multas contra um grupo de pescadores de mais de R$ 8 mil em Mongaguá. A ocorrência foi registrada na sexta-feira (31) e divulgada nesta segunda-feira (2).

De acordo com informações da assessoria de imprensa da polícia ambiental, as autoridades realizavam um patrulhamento marítimo de rotina pela área de proteção ambiental marinha litoral centro (APAMLC), no setor conhecido como Carijó, quando se depararam com uma rede de pesca de aproximadamente 500 metros de comprimento.

Conhecida comumente como ‘petrecho’, a rede estava na água e abandonada. Sem nenhum pescador pelas redondezas, os policiais decidiram checar o objeto e encontraram várias espécies marinhas ainda vivas e enroscadas no equipamento. Após investigar rapidamente, as autoridades conseguiram soltar peixes das espécies Robalo, Bagre e Pampo.

Em seguida, os agentes da Polícia Ambiental seguiram realizando a ronda e localizaram uma embarcação que contava com três tripulantes e que se encontrava a uma milha da costa, o que é contra a lei. Durante a fiscalização, os policiais acharam uma outra rede de pesca de emalhe e que também tinha 500 metros de comprimento.

Ao interrogar os homens a bordo, os policiais levantaram que nenhum dos indivíduos possuía a carteira de pescador. Com todos os elementos reunidos, as autoridades autuaram os três por pesca em local proibido e por pescar sem a autorização do órgão ambiental competente. Ao todo, as multas aplicadas pelos PMs aos homens totalizaram R$ 8.4 mil.

Tanto os equipamentos quanto a embarcação foram apreendidas pelos policiais.

Colunas

Contraponto