Prisão Preventiva

Polícia Federal confirma prisão de empresário Almir Matias

Ele foi indiciado por vários crimes, entre eles corrupção ativa, organização criminosa e lavagem de dinheiro

Da Reportagem

Publicado em 31/08/2022 às 13:30

Atualizado em 31/08/2022 às 13:38

Comentar:

Compartilhe:

O empresário foi levado para a sede da PF em Santos / Arquivo Pessoal

A Polícia Federal (PF) confirmou a prisão preventiva, em São Paulo (Capital), do empresário e cantor Almir Matias, dentro da Operação Ar Puro, que investiga a aquisição de respiradores proibidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), por ter não serem eficientes no tratamento da doença respiratória causada pelo coronavírus. O empresário foi levado para a sede da PF em Santos. Ele foi indiciado por vários crimes, entre eles corrupção ativa, organização criminosa e lavagem de dinheiro. O advogado dele não foi encontrado até a publicação dessa reportagem.

Matias também é apontado em inquérito envolvendo a Operação Nácar, em Guarujá, e outra recente em Cubatão, todas as duas relacionadas em contratos na área da Saúde. Matias está entre os investigados do Ministério Público Federal (MPF) por supostas fraudes em contratos em ambas as cidades e as investigações tem como objetivo o combate de possíveis crimes de corrupção, desvios de recursos públicos e outros crimes correlatos, envolvendo verbas federais.

A prisão do empresário poderá criar um novo capítulo da história política recente envolvendo ambos os municípios. O empresário estaria sendo investigado por supostamente ser dono de outras organizações sociais que possuem contratos públicos. Segundo denúncia encaminhada à Justiça Federal, o empresário seria responsável por danos na ordem de R$ 109,4 milhões em Guarujá; R$ 12,6 milhões e 2,7 milhões em Cubatão e Caçapava.   

PREFEITOS

Os prefeitos Valter Suman e Ademário de Oliveira, ambos do PSDB, estão sendo investigados pela Polícia e Ministério Público Federal (MPF). No caso de Guarujá, o prefeito Valter Suman (PSDB) governa após ter obtido, junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), um Habeas Corpus, impetrado por sua defesa. O prefeito recuperou o direito de locomoção e a sua liberdade de ir e vir (sem tornozeleira eletrônica), sem o risco de ver decretada a sua prisão preventiva.

CUBATÃO

Em Cubatão, em 11 de agosto último, a Justiça negou a prisão preventiva do empresário e bloqueio de bens, mas autorizou busca a apreensão de documentos na casa dele, do prefeito Ademário de Oliveira (PSDB) e da ex-secretária de Saúde do Município. 

O foco das investigações seria um contrato da Prefeitura com uma das organizações sociais (OSs) que o empresário estaria à frente. A entidade seria responsável pelo contrato emergencial para a gerência da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Casqueiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Câmara

Em Brasília, deputados debatem pedágio free flow e mais agilidade nas rodovias

Recentemente, o Ministério dos Transportes colocou em consulta pública uma proposta para regulamentar o free flow em vias urbanas e rurais

Cultura

Praia Grande receberá três espetáculos gratuitos; veja quando

A Cia. Repentistas do Corpo se apresentará nos dias 19 e 20 de julho

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter