Pescador armado é morto por PM de folga no Perequê, em Guarujá

Segundo o policial, o pescador 'estava na iminência' de atirar em um outro homem na parte externa de uma padaria

Comentar
Compartilhar
01 JUL 2019Por Gilmar Alves Jr.19h42
Ao registrar a ocorrência, a Polícia Civil entendeu que houve legítima defesa do PMFoto: Arquivo/DL

O pescador Renilson Souza Cavalcante, de 47 anos, foi morto com dois tiros, na noite de domingo (30), por um policial militar de folga que diz ter tentado evitar que o homem matasse outro na parte externa de uma padaria no Perequê, em Guarujá.

O delegado Thiago Nemi Bonametti, da Delegacia Sede, entendeu, ao registrar o caso, que o PM repeliu injusta agressão de Renilson ao terceiro e outras pessoas decorrente de ameaça com arma de fogo.

O estabelecimento fica na Estrada Guarujá-Bertioga e, devido ao caso, houve tumulto, pois havia uma uma quermesse junina do outro lado da avenida.

Para Bonametti, a ação do policial foi amparada por legítima defesa própria e de terceiro. Renilson morreu no local, atingido por um disparo no tórax e outro no braço direito. O homem que era alvo do pescador deixou o local e não procurou a delegacia até o registro do caso.

Ao ser ouvido na delegacia, o PM declarou que cumprimentava algumas pessoas quando viu Renilson chegando ao local, empunhando revólver e gritando com o alvo, que estava sentado, em uma suposta cobrança de dívida.

Segundo o policial, o pescador estava na iminência de atirar. O PM então se deslocou e atirou lateralmente contra Renilson.

A arma do PM, uma pistola .40, e a de Renilson, um revólver de calibre 38 com numeração suprimida, foram apreendidas para perícia e o caso será apurado em inquérito.

Uma testemunha ouvida pela polícia disse que Renilson, ao chegar ao local por volta das 19h15, já apontou a a arma para o homem. A testemunha corroborou a versão do PM.

Disse ainda disse que sabia que o homem que estava sendo ameaçado por Renilson devido a questões financeiras.

O delegado entendeu que Renilson praticou uma tentativa de homicídio contra o homem para o qual apontou o revólver. 

Colunas

Contraponto