Patrulha Maria da Penha de Guarujá prende homem que descumpriu medida protetiva

Segundo informações da administração municipal, suspeito estava proibido de se aproximar a menos de 250 metros da ex-companheira

Comentar
Compartilhar
14 AGO 2019Por LG Rodrigues13h34
Agentes da Patrulha Maria da Penha, em Guarujá, prenderam suspeito no PerequêFoto: Hygor Abreu/Prefeitura de Guarujá

Um homem foi preso em flagrante pela Patrulha Maria da Penha da Guarda Civil Municipal (GCM) de Guarujá na noite de segunda-feira (12). De acordo com informações da prefeitura, o suspeito foi preso por descumprimento da medida protetiva de urgência que determinava seu afastamento da ex-companheira.

Segundo a administração municipal, a ação ocorreu na Estrada Guarujá, na região que fica próxima do município de Bertioga, no Perequê. A vítima acionou a Guarda Municipal após verificar que o ex-companheiro estava na frente de sua residência. Ao chegar no local, os agentes da GCM encontraram o suspeito e foram informados pela mulher que ela estava sendo coagida.

Em contrapartida, o suspeito, que tem 26 anos, alegou que foi até o local para buscar a filha do casal. De acordo com nota emitida pela assessoria de imprensa da prefeitura de Guarujá, o homem tem um mandado de afastamento contra ele e que foi expedido em julho. Ele estava proibido de se aproximar a menos de 250 metros da ex-companheira.

Ele foi preso em flagrante e encaminhado até a Delegacia de Polícia Sede de Guarujá. De acordo com Douglas Serafim Barreto, que é atualmente o coordenador do programa Guardiã, a prisão é uma demonstração de seriedade e comprometimento com as políticas atualmente exercidas e destacadas desde que a Patrulha Maria da Penha começou suas atividades no município na terceira semana de julho.

A ação que resultou na prisão de segunda-feira foi uma colaboração entre a Patrulha Maria da Penha, Viaturas de Área, Canil e a Ronda Ostensiva Municipal (ROMU).

Maria da Penha
A patrulha, que está em operação desde a segunda quinzena de julho, faz parte do Programa Guardiã Maria da Penha, que foi instituído no Guarujá no dia 8 de março deste ano por meio do Decreto nº 13.045/2019. Atualmente, um total de dez mulheres são assistidas de maneira direta pelas ações da prefeitura.

Os guardas civis atuam mediante a identificação e seleção de casos pelo Ministério Público. Dentre as ações, estão a prevenção e o combate à violência física, psicológica, sexual, moral e patrimonial contra as mulheres, conforme legislação vigente, além do monitoramento do cumprimento das normas, que garante a proteção e, também, a responsabilização dos autores de violência contra a mulher.