Padrasto de Joaquim vai para a prisão de Tremembé

Ele, que teve a prisão preventiva decretada, vai completar nesta semana dois meses atrás das grades sob a acusação de matar o garoto de 3 anos

Comentar
Compartilhar
06 JAN 201422h04

Guilherme Longo, padrasto do menino Joaquim Ponte Marques, morto no mês passado, foi transferido na tarde desta segunda-feira, 6, da Delegacia Seccional de Barretos (SP) para a Penitenciária de Tremembé (SP). Ele, que teve a prisão preventiva decretada, vai completar nesta semana dois meses atrás das grades sob a acusação de matar o garoto de 3 anos.

Natália Longo também seria transferida, mas foi aceito o pedido da defesa para que continue na Cadeia Pública de Franca (SP), cidade localizada a apenas 50 quilômetros de São Joaquim da Barra (SP), onde reside sua família. Ela voltou para a cadeia no último sábado, 4, por decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, que nesta segunda negou um habeas corpus para que seja solta.

Joaquim Ponte Marques foi encontrado morto no mês passado (Foto: Arquivo Pessoal)

Suspeita

O casal é acusado pela morte de Joaquim ocorrida no Jardim Independência em Ribeirão Preto. O menino sumiu de casa no dia 5 de novembro e cinco dias depois apareceu boiando no Rio Pardo. Para a polícia, o padrasto teria matado a criança com uma dose excessiva de insulina e jogado o corpo na água. A mãe também responde pelo crime porque teria sido omissa no caso.