Oito pessoas são executadas em quatro dias na Baixada Santista

Entre as vítimas está uma mulher de 35 anos, que estava grávida de quatro meses

Comentar
Compartilhar
02 FEV 201400h14

Em apenas quatro dias, a Baixada Santista registrou oito execuções nas cidades de Guarujá, Praia Grande e Cubatão. A série de assassinatos mais recente ocorreu no início da manhã de ontem, em Guarujá, quando quatro pessoas que estavam juntas foram mortas a tiros, entre elas uma mulher de 35 anos, que estava grávida de quatro meses.

Por volta das 6h, Eduardo Borges dos Santos, de 41 anos, Edilson Josué Nascimento, de 27 anos, e Lucirene Lucas da Silva, de 35, e outra mulher conversavam na Rua São João, no Pae Cará, em Vicente de Carvalho, quando atiradores em motocicletas e carros passaram e realizaram diversos disparos contra o grupo.

Segundo apurado pelo Diário do Litoral, a cena do crime é conhecida pela movimentação de usuários de entorpecentes. A Polícia Civil de Guarujá informou que as vítimas eram usuárias de drogas, tendo passado a noite no local consumindo entorpecentes.

A série de execuções teve início na tarde da última quarta-feira, quando um adolescente, de 16 anos, foi assassinado com oito tiros, na Vila Edna, em Guarujá. O jovem era suspeito de envolvimento no assalto contra o secretário geral da Cruz Vermelha, Fernando Ricardo Grazon, baleado na Avenida Tancredo Neves, no Santa Clara, no último dia 7.

O adolescente tinha diversos registros de atos infracionais de roubo, estando com mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça por conta do assalto contra Grazon. O jovem foi morto com tiros de calibre 12 e ponto 40, de uso restrito das Forças Armadas. Para a Polícia Civil de Guarujá, o assassinato teria ocorrido por conta de uma dívida de drogas.

Na madrugada de sexta-feira, o entregador Michel Ferreira da Silva, de 24 anos, e a balconista Elaine Cristina de Souza, de 29 anos, foram executados a tiros, no Jardim Quietude, em Praia Grande. Na cena do crime, perícia técnica recolheu 13 cápsulas deflagradas de pistola 9mm.

Nesses três primeiros casos, nenhuma testemunha presenciou os crimes, dificultando os trabalhos de investigações das polícias civis de Guarujá e Praia Grande.

Na tarde de sexta-feira, Wellington Oliveira Vasques, de 26 anos, foi assassinado com cinco tiros, no Jardim Casqueiro, em Cubatão. Um dos disparos atingiu sua cabeça. A vítima conversava com um amigo, por volta das 16h, em um comércio, quando um homem com uma máscara de lobisomem desceu de um veículo Chevrolet Classic prata e efetuou os disparos. A Polícia Civil de Cubatão acredita que a execução pode ter sido um “acerto de contas”, já que a vítima ostentava diversos antecedentes por roubos naquela Cidade.

Na tarde da última sexta-feira, quarta vítima da onda de crimes foi morta (Foto: Matheus Tagé/DL)

‘Mortes são brigas do tráfico de drogas’

Para o diretor do Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-6), Aldo Galiano Júnior, responsável pela Polícia Civil da Baixada Santista e Vale do Ribeira, as oito mortes ocorridas nos últimos quatro dias estão atreladas ao tráfico de drogas.

“Normalmente isso ocorre quando o tráfico de drogas sofre uma grande perda, quando a Polícia Civil realiza uma grande apreensão eles começam a se desentender e ocorre isso”, explica Galiano Júnior ao Diário do Litoral.

Segundo o diretor do Deinter-6, as execuções ocorridas serão investigadas com rigor pela Polícia Civil. “Para nós não interessa se a vítima tinha passagem ou não, são vidas isso que importa. As execuções serão investigadas e prenderemos os responsáveis pelos crimes. As mortes serão esclarecidas se não a coisa descamba, não podemos deixar isso ocorrer”.

Cronologia das execuções

1ª morte: Adolescente, de 16 anos, é morto a tiros, na Vila Edna, em Guarujá, na tarde da última quarta-feira. Jovem foi morto com ao menos oito tiros. Ele tinha diversos registros de atos infracionais de roubo.

2ª e 3ª morte: O entregador Michel Ferreira da Silva, de 24 anos, e a balconista Elaine Cristina de Souza, de 29 anos, são executados na madrugada de sexta-feira, no Jardim Quietude, em Praia Grande. Perícia recolheu 13 cápsulas deflagradas de pistola 9mm na cena do crime.

4ª morte: Welligton Oliveira Vasques, de 26 anos, é assassinado na tarde da última sexta-feira, no Jardim Casqueiro, em Cubatão. Ele tinha diversos antecedentes por roubos e homicídios.

5ª, 6ª, 7ª e 8ª mortes: Eduardo Borges dos Santos, de 41 anos, Edilson Josué Nascimento, de 27 anos, e Lucirene Lucas da Silva, de 35, que estava grávida, e uma outra mulher são assassinados a tiros, no Pae Cará, em Vicente de Carvalho. O grupo foi morto em reduto de usuários de drogas.