Nutricionista é presa em Santos após agredir vizinhas com barra e dizer que 'preto não presta'

Polícia Militar foi acionada e agentes ouviram momento em que suspeita usou termos racistas para se referir a vítimas de suas agressões

Comentar
Compartilhar
07 MAI 2021Por LG Rodrigues13h00
O caso aconteceu entre a noite de terça-feira (4) e a madrugada de quarta em um prédio residencial localizado no bairro do José MeninoO caso aconteceu entre a noite de terça-feira (4) e a madrugada de quarta em um prédio residencial localizado no bairro do José MeninoFoto: Reprodução

Uma mulher foi presa em Santos durante a madrugada da última quarta-feira (5) após tentar agredir duas vizinhas usando uma barra de ferro. A Polícia Militar foi acionada e, ao chegar no local, ainda ouviu a suspeita usar termos racistas para se referir às vítimas.

O caso aconteceu entre a noite de terça-feira (4) e a madrugada de quarta em um prédio residencial localizado no bairro do José Menino. De acordo com boletim de ocorrência, o desentendimento entre a suspeita e as vítimas se iniciou após a autora das agressões ter usado tinta para escrever ofensas na porta do apartamento de uma das vizinhas e também na área comum do condomínio.

Em depoimento, uma das mulheres agredidas afirma que foram escritas as frases: 'vagabunda dos crimes', 'porca imunda' e 'negro quando não faz na entrada faz na saída'. Um dia antes da agressão que culminou na prisão, a suspeita e as vítimas chegaram a trocar ofensas e a mulher se armou com um pedaço de madeira para atacar as autoras. Com a ajuda de outras pessoas, elas acionaram a Polícia Militar, mas como a agressora entrou em sua casa e trancou a porta do apartamento, os profissionais não puderam fazer nada.

Na madrugada de quinta, entretanto, o episódio se repetiu e dessa vez a agressora tentou usar uma barra de ferro de quase um metro de comprimento para atacar as vizinhas, que conseguiram tomar a arma dela e, com a ajuda de outros moradores, impediram que a suspeita se trancasse em seu apartamento ao segurar a porta de sua residência aberta até que a PM chegasse no local.

Ao ver a chegada dos policiais, a suspeita saiu de sua residência, mas não respondeu os questionamentos dos agentes sobre as ofensas pintadas pelo condomínio. Mesmo sem se dirigir aos profissionais, a suspeita proferiu várias falas racistas como: 'preto não presta pra nada' e 'só poderia ser preto pra fazer essas coisas'. Ao ouvir as declarações, os PMs deram voz de prisão à suspeita e a levarama té a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Central de Santos para cuidar de ferimentos em seu rosto que ocorreram enquanto ela tentava agredir as vizinhas.

Em seguida, ela foi levada até o 7º Distrito Policial de Santos, onde foi indiciada pelo crime de injúria racial. As autoridades estipularam fiança no valor de R$ 1.500,00.