Neymar diz que vídeo com fotos íntimas foi publicado por assessores

O atleta disse que a divulgação das imagens se tratou de um equívoco

Comentar
Compartilhar
07 JUN 2019Por Folhapress14h55
A iniciativa de divulgar a conversa teria partido de Neymar da Silva Santos, pai do jogadorFoto: Reprodução/Instagram

Em depoimento nesta quinta-feira (6), na Cidade da Polícia, zona norte do Rio de Janeiro, o atacante Neymar transferiu a responsabilidade pela publicação de fotos íntimas da modelo Najila Trindade, que o acusa de estupro, para a sua equipe de assessores. O atleta disse que se tratou de um equívoco a divulgação das imagens da mulher.

Em 1 hora e 40 minutos de depoimento ao delegado Carlos Sartori, acompanhado dos advogados Davi Tangerino e Maíra Fernandes, Neymar disponibilizou o celular para a polícia verificar as mensagens trocadas com a mulher e disse não ser o responsável pelo vídeo que foi ao ar no seu Instagram no último sábado (1º).

De acordo com o jogador, dois membros de seu estafe ficaram encarregados de colocarem no ar as mensagens trocadas entre ele e Najila.  Neymar disse que não sabe como anexar mensagens de Whatsapp em um vídeo do Instagram e que solicitou a exclusão de imagens íntimas, o que não teria ocorrido por erro.

A divulgação dessas imagens motivou a abertura de inquérito na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, que investiga se o atleta cometeu ato criminoso ao postar as fotos e vídeos íntimos sem o consentimento da mulher. A postagem foi uma resposta após o boletim de ocorrência de Najila, que o acusa de estupro, tornar-se público.

A publicação na rede social ficou encarregada de dois assessores, que agora serão chamados para depor pela polícia, em dia e hora ainda desconhecidos. Dois dias depois da publicação do vídeo, o Instagram o retirou do ar por violar normas da rede -a gravação já tinha sido visualizada cerca de 18 milhões de vezes.

Segundo apurou a reportagem, a iniciativa de divulgar a conversa entre Neymar e Najila por Whatsapp partiu de Neymar da Silva Santos, pai do jogador. Ele já conhecia a versão do filho e acreditou que, publicando as mensagens nas redes sociais, ganharia apoio popular. O atleta possui 120 milhões de seguidores no Instagram.

Na hora da postagem, a equipe omitiu a sequência da troca de mensagens, divulgada pela TV Record nesta quinta e mostrada pelo jogador ao delegado. Na conversa, aparentemente ocorrida após o suposto estupro, Neymar diz que Najila era parcialmente responsável pelas marcas de tapas nas nádegas da modelo, porque ela "pedia mais".

Em seguida, ela responde: "Tá doido? Eu pedi para parar e você até pediu desculpas". 

Advogada de Neymar, Maíra Fernandes foi questionada sobre a conversa nesta quinta e defendeu o jogador. "Meu cliente é inocente. Ele está absolutamente tranquilo. É a tranquilidade dos inocentes", disse na saída da delegacia. Ela afirmou que não poderia comentar mais porque os autos do processo são sigilosos.

Nesta sexta, a reportagem procurou novamente os representantes de Neymar para comentarem o assunto, mas eles não responderam. A Polícia Civil também foi procurada oficialmente, e não respondeu até a publicação desta reportagem. A pena para o crime de divulgação de cenas de nudez sem autorização vai de 1 a 5 anos de prisão.

Além da investigação pelo vídeo, há um inquérito aberto em São Paulo por acusação de estupro. A agressão sexual teria ocorrido em Paris, segundo denúncia da modelo Najila Trindade. O jogador será chamado para depor na capital paulista, em data ainda desconhecida. A mulher foi ouvida na manhã desta sexta.

Colunas

Contraponto