Membro do grupo Afroreggae é morto

Assassinado na sexta, Rafael Victorio tinha 29 anos e trabalhava no setor de empregabilidade da ONG;

Comentar
Compartilhar
16 DEZ 201212h40

A Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga a morte de um integrante do grupo cultural AfroReggae. Segundo informações da divisão de homicídios da Capital, Rafael Gonçalves Victorio, de 29 anos, foi assassinado na noite de sexta-feira quando chegava em casa, em Realengo, na Zona Oeste do Rio.

De acordo com nota divulgada pela assessoria de imprensa da Polícia Civil, foi feita uma perícia no local do crime e o corpo de Victorio foi necropsiado no Instituto Médico-Legal, no centro do Rio. “Por enquanto não há mais detalhes a serem divulgados, para não atrapalhar as investigações”, informou a polícia.

Até o começo da noite de ontem, o grupo AfroReggae ainda não tinha se manifestado. Victorio trabalhava no setor de empregabilidade da ONG.Na última quarta-feira, ele participou em Brasília de uma palestra do projeto “Comandos”, que reúne exintegrantes de grupos armados do Rio.

No site do AfroReggae, Victorio é descrito como ex-integrante da facção criminosa ADA.

Victorio foi membro da facção criminosa ADA (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
‘Armas’

Em depoimento reproduzido na página da ONG, ele afirmou que “viveu” onze anos no tráfico de drogas na Vila Vintém, comunidade da Zona Oeste do Rio. “Eu tinha armas para defender minha comunidade”, disse Victorio, segundo o site, em palestra do projeto “Comandos” no morro do Cantagalo, em julho.