Ladrões que roubaram único televisor de família e aterrorizaram em PG são identificados

Mulher de 21 anos e duas filhas pequenas, uma delas com paralisia cerebral, foram ameaçadas de morte

Comentar
Compartilhar
12 SET 2019Por Gilmar Alves Jr.15h15
A autoria do crime foi esclarecida por policiais do 2º DP de Praia Grande (Vila Caiçara)Foto: Reprodução/Google Maps

A Polícia Civil identificou dois homens acusados de assaltar uma casa na Vila Caiçara, em Praia Grande, onde foram ameaçadas de morte uma mulher de 21 anos e duas filhas, uma de cinco anos e outra de quatro, que tem paralisia cerebral motora. No delito, que ocorreu na noite de 18 de agosto, foram roubados o único televisor da família e um celular.

Os dois ladrões ainda não foram localizados, apesar de diversas diligências, e o delegado Juvenal Marques Ferreira Filho, titular do 2º Distrito Policial de Praia Grande, irá pedir a prisão deles.

Ouvida pela Reportagem, a mulher afirma que o televisor faz muita falta para as crianças. “Era o único meio de elas se distraírem”, afirma.

A moradora fez a compra do aparelho em seis prestações e, como ainda faltam quatro parcelas, diz que não tem condições de adquirir outro neste momento.

Violência

O roubo teve início por volta das 23h do dia 18, mediante invasão da residência. A mulher assistia televisão na sala quando percebeu a entrada de um dos ladrões e foi até a cozinha para tentar soltar seus dois cães, mas foi rendida por um dos ladrões, que portava arma de fogo.

Na sequência um segundo assaltante entrou na casa, apertou o pescoço da vítima e tapou o rosto dela para que não reagisse. Ela foi empurrada até o quarto onde as filhas dormiam e recebeu a seguinte ameaça: “se você não ficar quieta, eu vou matar todo mundo aqui dentro”.

“A filha mais velha, assustada e chorando muito, presenciou toda a ação de violência, enquanto os autores, sem demonstrar qualquer empatia e consideração pelas crianças, subtraíram a a única televisão da casa”, relatam os investigadores Alexandre Cassiano e Heictor Dias.  O crime durou cerca de 15 minutos.

Sob o comando do investigador-chefe do 2º DP, Olívio Bento, e do delegado Ferreira Filho, os investigadores prosseguem as diligências visando localizar o paradeiro dos dois criminosos.

 

Colunas

Contraponto