Justiça aceita denúncia contra investigados na Ouro Branco

Foi decretada a prisão preventiva de três policiais civis, um advogado e uma mulher

Comentar
Compartilhar
27 MAR 2017Por Da Reportagem12h30
A operação Ouro Branco apreendeu um total mais de R$ 30 mil na casa de dois dos investigados quando a operação foi deflagrada. Policiais estariam envolvidos com tráficoA operação Ouro Branco apreendeu um total mais de R$ 30 mil na casa de dois dos investigados quando a operação foi deflagrada. Policiais estariam envolvidos com tráficoFoto: Divulgação/MPE

A Justiça de Peruíbe aceitou a denúncia oferecida pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) e pela Promotoria de Justiça de Peruíbe contra envolvidos em crimes investigados durante a Operação Ouro Branco. Foi ainda decretada a prisão preventiva das cinco pessoas denunciadas.

As informações foram divulgadas na última quinta-feira (23) pela assessoria de imprensa do Ministério Público Estadual (MPE).

Segundo a denúncia, três policiais civis lotados na Delegacia Sede de Peruíbe estavam associados a um advogado e uma mulher, apontada como ligada ao tráfico em Peruíbe. Todos tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça a pedido do MPE para a deflagração da operação.

Os policiais, segundo o MPE, também foram denunciados pelo crime de corrupção passiva, já que semanalmente recebiam valores oriundos do tráfico de drogas praticado na cidade de Peruíbe. Eles responderão também por tráfico de entorpecentes, uma vez que grande quantidade de substâncias ilícitas era armazenada nas dependências da Delegacia de Peruíbe.

Na casa de um dos policiais em Itanhaém e no imóvel da mãe de outro, em São Vicente, a operação apreendeu um total de R$ 27 mil, sendo R$ 8 mil no primeiro e R$ 19 mil em outro. Na casa de um terceiro policial havia R$ 2 mil. Já na residência do advogado mais R$ 2 mil foram ­apreendidos.

A Operação Ouro Branco foi deflagrada pelo Gaeco em 21 de fevereiro, com o apoio da Corregedoria da Polícia Civil e do 2º Batalhão de Ações Especiais de Polícia da Polícia Militar. Na ocasião, foram cumpridos 20 mandados de busca e apreensão, além de cinco mandados de prisão temporária.

A investigação identificou até um aumento de cobrança de propina dos três policiais depois de uma operação que deflagraram no dia 16 de fevereiro, no Jardim Brasil, em Peruíbe. Na ação oito acusados de tráfico foram presos e drogas foram apreendidas.

O  processo tramita na 1ª Vara de Peruíbe.