Júri de acusado pela morte de Ricardo Joaquim começa nesta terça-feira (17)

A sessão, cuja previsão de duração é de até três dias, será realizada no 1º Tribunal do Júri de São Paulo, na Barra Funda. Este é o primeiro júri do caso

Comentar
Compartilhar
16 JAN 2017Por Gilmar Alves Jr.21h50
O ex-secretário de Governo de Guarujá foi assassinado em 2012Foto: Arquivo/DL

Apontado como autor dos três disparos que mataram o ex-secretário de Governo de Guarujá, Ricardo Joaquim, em 2012, o policial militar Anderson Willians da Silva será submetido a júri popular a partir das 13h de amanhã. A sessão, cuja previsão de duração é de até três dias, será realizada no 1º Tribunal do Júri de São Paulo, na Barra Funda. Este é o primeiro júri do caso.

Segundo a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), Silva cometeu o delito com cobertura do ex-PM George de Almeida, que também responde ao processo preso preventivamente. O crime ocorreu durante uma reunião política em Vicente de Carvalho e, segundo a denúncia, foi cometido a mando dos empresários Felício Bragante e Edis Vedovatti. Eles respondem soltos. 

Conforme a denúncia, os empresários ordenaram a morte após o ex-secretário descumprir um “acordo” para extinguir ou reduzir débitos de IPTU de uma extensa área no Jardim Virgínia. Os quatro acusados negam envolvimento. 

Defensor do réu que vai a júri amanhã, o advogado Alex Sandro Ochsendorf ressalta que a linha de defesa será a negativa de autoria. “Iremos atacar a prova acusatória”, assinala.